Câmara aprova projeto de lei que determina implantação de botão de pânico nos ônibus de Goiânia

Proposta agora vai para segunda votação para ser novamente avaliada pelos parlamentares

JESSICA MARQUES

A Câmara Municipal de Goiânia aprovou em primeira votação um projeto de lei que determina a implantação de um botão de pânico nos ônibus municipais da capital. Agora, a proposta vai ser encaminhada para uma segunda votação, onde será novamente avaliada pelos parlamentares.

A medida é de autoria do vereador Eduardo Prado. De acordo com o projeto, as empresas concessionárias do serviço de transporte coletivo deveriam criar um sistema de monitoramento em vídeo para identificar os autores do crime de abuso sexual.

A proposta inicialmente havia sido aprovada pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: Projeto de lei prevê câmeras e botão de pânico contra abuso sexual em ônibus de Goiânia

Segundo o texto da proposta, caso o projeto seja aprovado, os motoristas vão receber um treinamento específico com orientações de como agir em casos de violência sexual ou assédio dentro dos coletivos.

O botão de pânico seria acionado pelo motorista, que enviaria automaticamente a localização do ônibus, monitorada por GPS, para a Polícia Militar. Em seguida, uma viatura seria enviada ao local para averiguar o caso.

Além disso, as empresas também teriam que criar uma ouvidoria para receber denúncias do tipo e encaminhar para autoridades competentes.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. João Luis Garcia disse:

    Venho sugerindo há anos a Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados em Brasília a adoção do botão de pânico para todos os ônibus urbanos e rodoviários, através de uma Leí Federal, hoje como todos os ônibus já saem equipados de fábrica com os itinerários eletrônicos a adoção do sistema seria muito simples e barata, com o alerta no itinerário eletrônico as pessoas saberiam que aquele veículo está sendo assaltado ou mesmo se está sendo alvo de qualquer outro delito.
    E nas cidades que já adotam o GPS para monitoramento da frota seria mais um meio de alertar as autoridades sobre qualquer anormalidade.

Deixe uma resposta