Gilmar Mendes solta ex-secretário de Alckmin preso por supostos desvios em obras do Rodoanel

Publicado em: 5 de setembro de 2018

Laurence Casagrande Lourenço estava preso desde junho após Operação Pedra no Caminho deflagrada pela Polícia Federal

ALEXANDRE PELEGI

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu habeas corpus nesta terça-feira, dia 4 de setembro, ao ex-secretário de Logística e Transporte do governo do estado de São Paulo, Laurence Casagrande Lourenço.

Detido em 21 de junho, por ordem da juíza federal Maria Isabel do Prado, da 5.ª Vara Criminal Federal de São Paulo, Laurence é acusado de favorecer empreiteiras na obra do trecho norte do Rodoanel, e foi denunciado pelo Ministério Público Federal sob acusação de fraude a licitação, associação criminosa e falsidade ideológica. Relembre:

Operação ‘Pedra no Caminho’ da PF realiza 15 prisões em São Paulo por desvio de dinheiro público em obras do Rodoanel

Laurence Casagrande Lourenço, ex-presidente da Dersa e ex-secretário do governo Geraldo Alckmin (PSDB), sairá da prisão beneficiado pela extensão do habeas corpus concedido por Gilmar Mendes a Pedro da Silva, ex-diretor da Dersa, solto no dia 28 de agosto. No habeas corpus concedido a Pedro da Silva, o ministro do STF afirmou que não haviam elementos que permitiam presumir que, solto, ele poderia causar risco ao processo e à aplicação da lei.

Quando de sua prisão, Laurence presidia a CESP – Companhia Energética de São Paulo, empresa estatal do governo paulista.

Na decisão de soltura do ex-secretário do governo Alckmin, o ministro Gilmar Mendes substituiu a prisão preventiva de Laurence por medidas cautelares. Laurence Casagrande fica proibido de frequentar prédios e dependências da Dersa, bem como outros prédios do governo do Estado de São Paulo que possam ter relação com os fatos da ação penal em que está envolvido. Além disso não poderá manter contato com outros investigados, e deverá entregar seu passaporte em até 48 horas.

O criminalista Eduardo Carnelós, que atua na defesa de Laurence, divulgou a seguinte nota:

“Nestes tempos tristes em que impera a banalidade do mal, de que falou Hannah Arendt, em que se considera normal a manutenção na prisão, sem nenhum fundamento, dum homem de bem, é um alento receber a notícia de que o ministro Gilmar Mendes deferiu o pedido de extensão para devolver Laurence ao convívio de sua família e seus amigos.”

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta