Bicicletas compartilhadas ficam disponíveis na periferia de São Paulo

Cada viagem de 15 minutos tem custo de R$ 1. Foto: Divulgação.

Serviço foi lançado em 2 de agosto apenas para o centro e a Zona Oeste da capital paulista

JESSICA MARQUES

O serviço de bicicletas compartilhadas sem estação, operado pela Yellow, já está disponível na periferia de São Paulo. A opção de transporte foi lançada em 2 de agosto apenas para o centro e Zona Oeste da capital paulista, com promessa de expansão.

Um mês depois, já é possível ver as bicicletas amarelas em bairros considerados periféricos e mais afastados do centro da cidade.

Conforme consta no aplicativo da Yellow, existem bicicletas disponíveis para compartilhamento na região de Capão Redondo, Santo Amaro, Cidade Dutra, Parque Santo Antônio, Paraisópolis, Grajaú e Jardim São Luiz, no extremo da Zona Sul de São Paulo.

Na Zona Leste, aparecem bicicletas em São Mateus, Itaim Paulista, Vila Formosa e Mooca. Até mesmo cidades próximas já constam no aplicativo com bicicletas disponíveis, como Taboão da Serra e regiões do ABC Paulista, como São Caetano do Sul e São Bernardo do Campo.

Inicialmente, era possível ver as bikes amarelas apenas em Pinheiros, Jardim Paulistano, Itaim-Bibi, Vila Olímpia e Largo da Batata, onde o serviço foi lançado.

FUNCIONAMENTO

Para funcionar com segurança, as bicicletas contam com o sistema dockless, com uma trava automática. Além disso, todas as unidades são monitoradas por GPS. Cada viagem de 15 minutos tem custo de R$ 1.

Tanto o mapeamento quanto o destravamento e pagamento do serviço são feitos por meio de um aplicativo no smartphone, com o uso de QR Code.

A bicicleta da Yellow não tem marchas e foi pensada para trajetos de até três quilômetros, o que representa um uso aproximado de 15 minutos. Com isso, é possível que os passageiros de ônibus e metrô complementem o trajeto com a bicicleta.

AMPLIAÇÃO DO SERVIÇO

A intenção da Yellow é ampliar o serviço para 1,5 mil bicicletas novas nas ruas, semanalmente, a partir da segunda quinzena de outubro. Até o fim de novembro, a previsão é de que 20 mil bikes circulem pela capital paulista.

A Yellow também pretende lançar o serviço de patinetes elétricos, com intenção de colocar até mil unidades em circulação na cidade de São Paulo até o fim do ano.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Bruno Gomes disse:

    Vc ate pode largar a bicicleta em qualquer lugar mas nem toda yellow que vc encontra pode usar trabalho na região da paulista sempre encontro uma em ótimo estado e nunca está disponível na vdd na Paulista inteira tem varias yellows porem no mapa consta como se nao tivesse nehuma
    Fico me perguntando pra que deixar essas bicletas se não posso usar

Deixe uma resposta