Empresas de ônibus de Cuiabá (MT) veem crescimento de fraudes no uso de cartões de gratuidade

Foto: Divulgação

Empresas de ônibus de Cuiabá (MT) veem crescimento de fraudes no uso de cartões de gratuidade

ALEXANDRE PELEGI

A Associação Matogrossense dos Transportadores Urbano (MTU), que reúne as empresas concessionárias do serviço de transporte coletivo de passageiros em Cuiabá e Várzea Grande, cancelou nos 15 primeiros dias deste mês 1.261 cartões de gratuidade por uso indevido.

O uso da biometria facial tem permitido identificar as fraudes após os equipamentos estarem sendo instalados em toda frota. A MTU informa que atualmente 60% dos ônibus do sistema têm o equipamento.

Em Cuiabá, capital do Mato Grosso, e Várzea Grande há o direito ao benefício da gratuidade (integral e parcial) a estudantes, idosos (Melhor Idade) e a portadores de necessidades especiais (PNE).

Das 1.261 gratuidades canceladas por uso indevido, a maioria refere-se a estudantes: 847 são do cartão passe livre em Cuiabá, e 336 em Várzea Grande. Outros 36 são da “Melhor Idade” e 42 PNE.

A MTU vê nesses números um aumento de fraudes no sistema. Em julho deste ano foram identificados fraude no uso de 1.379 cartões, quase o mesmo número em apenas metade do mês de agosto.

O equipamento de biometria facial fotografa o passageiro ao passar na catraca do ônibus. São tiradas seis fotografias, que permitem ao sistema identificar o dono do cartão e comparar as imagens com a foto do cadastro.

Com a fraude constatada é efetuado o bloqueio do cartão é bloqueado.

BIOMETRIA FOI AUTORIZADA HÁ UM ANO

A Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados de Cuiabá – Arsec autorizou a colocação de tecnologia de biometria facial em todos os ônibus do sistema em setembro de 2017.

Em decreto publicado no Diário Oficial de Contas, a Arsec afirma que a medida se dá pela necessidade de maior controle e fiscalização mais eficiente sobre o uso de descontos tarifários e gratuidades, como a idosos, portadores de deficiência ou doenças crônicas com risco de morte e estudantes, por exemplo. (Relembre)

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: