Passageiro de transporte coletivo perde até uma hora com mudança de fluxo na Avenida Celso Garcia

Trânsito na Celso Garcia começa a complicar nas áreas mais periféricas. Vias no entorno também são afetadas. Foto: Adamo Bazani/Diário do Transporte (Clique para ampliar)

CET diz que segurança do pedestre foi priorizada e fala que é “necessário tempo para que a população se acostume”

ADAMO BAZANI

Andar de transporte coletivo ficou bem mais difícil pela Avenida Celso Garcia após as mudanças de fluxo de direção promovidas pela CET – Companhia de Engenharia de Tráfego no último dia 21 de julho, quando um trecho de 6,7 km entre o Largo da Concórdia e a Avenida Airton Pretini, deixou de ter o contrafluxo de ônibus, com a abertura da circulação dos demais veículos no sentido bairro-centro.

Passadas praticamente três semanas das alterações, o Diário do Transporte continuou recebendo por e-mail e por redes sociais, diversas reclamações de passageiros sobre atrasos de até uma hora nas linhas, atribuídos às mudanças que, na percepção dos usuários, ampliaram os congestionamentos, principalmente nos horários de pico.

Filas de carros no sentido bairro, na noite de sexta-feira. Carro da SPTrans circula com fiscais no local

Na última sexta-feira, entre 17h30 e 19h30, a reportagem esteve no local e constatou confusão entre carros, pedestres e ônibus. O sentido bairro era pior. Nas regiões das paradas, os ônibus formavam grandes filas.

Nas proximidades do Hospital Municipal do Tatuapé, a confusão constatada era maior ainda.

Nem mesmo a presença de agentes da CET impedia que carros ficassem parados sobre as faixas de pedestres, mesmo com o semáforo aberto para quem estava a pé.

Para atravessar nas imediações do hospital, era necessário apertar o passo. A reportagem contou cinco segundos com o semáforo verde para o pedestre.

Agente da CET monitora trânsito próximo a Hospital. Ambulância precisa entrar na contramão para atender emergência

Em outro ponto da Avenida, ônibus presos em meio aos carros demoraram quase dez minutos para percorrerem um trecho de 300 metros após entrarem na Avenida, saindo do Largo da Concórdia.

“Isso está um absurdo. Tem dia que chego uma hora depois em casa. Ficar em pé no ônibus que não anda. Isso não dá” – disse Neuza Maria Santana, de 54, que costuma utilizar a linha 208V, que vai para a região do Terminal AE Carvalho.

“De manhã é ruim também. Estou levantando mais cedo e saindo de casa mais cedo porque às ‘seis e pouco’ já começa a travar. Nos primeiros dias cheguei atrasado ao trabalho. Piorou” – disse o serralheiro Gustavo Teixeira Silva.

Carros param nas faixas de pedestres em congestionamentos na Celso Garcia.

ABAIXO-ASSINADOS:   

Moradores das regiões servidas pela Avenida Celso Garcia, passageiros dos transportes coletivos, comerciantes, pedestres e até mesmo motoristas têm organizado abaixo-assinados contra as mudanças.

O técnico em Recursos Humanos, Roberto Vicente, faz parte da organização de um dos abaixo-assinados contra as mudanças de fluxo da Avenida Celso Garcia.

Morador da região da Vila Mara, Roberto disse que as mudanças na Avenida Celso Garcia, ao deixarem as viagens de ônibus mais demoradas, prejudicam os moradores das áreas mais periféricas, como Jardim das Oliveiras, Jardim Camargo Velho, Jardim do Nazaré e Vila Mara.

Segundo ele, são estas pessoas mais afetadas porque têm de sair mais cedo de casa e chegam mais tarde. Para o morador, os deslocamentos estão muito cansativos.

O tempo de viagem, segundo Roberto Vicente, aumentou em cerca de 50 minutos.  O morador conta ainda que por causa do novo esquema de trânsito, várias paradas, que recebiam linhas diferentes para evitar filas de coletivos, foram desativadas, impedindo a ultrapassagem entre os ônibus.

“O ônibus não dá mais para fazer ultrapassagem. Antigamente tinha ponto 1,2 e 3. Hoje ‘tão’ centralizando tudo num mesmo ponto. Aí o ônibus tem que ficar preso na fila. De repente, você pega um fluxo de oito ônibus no mesmo sentido, fica um parado atrás do outro, tudo na mesma fila.” – disse Roberto que conta que, antes da mudança, saía entre 06h00 e 06h10 de casa para o trabalho. Atualmente, tem de sair às 5h15 para não perder o horário de entrada.

“Já não era bom. Não tem corredor de ônibus, tinha uma faixa, mas que ia. Agora, piorou. O trem é muito lotado, não serve para todo mundo e tem de fazer um monte de baldeação” – enfatiza.

O presidente da Associação de Moradores do Belém, Luiz Carlos Modugno, que organiza outro abaixo-assinado, diz que além dos passageiros de ônibus, as mudanças prejudicaram o comércio local com a proibição de estacionamento em algumas vias e sobrecarregaram as ruas e avenidas próximas da Avenida Celso Garcia.

“Há ruas que foram proibidos os acessos, algumas que viraram contramão ou tiveram restrição de estacionamento. Tudo isso está fazendo o trânsito nas vias dos quatro bairros que pegam a Celso Garcia, um caos. Por exemplo, no Brás, a Rua João Boemer para chegar na Celso Garcia já consegue travar a Avenida Paes de Barros no finalzinho, o viaduto Bresser trava. Aqui no Belém, está ‘travando’ a Rua Marcos de Arruda, que é um acesso para a Celso Garcia. A Rua [Engenheiro] Reynaldo Cajado, a Rua Henrique Sertório, Avenida Azevedo, a Rua Antônio de Barros, tudo ruim.” – disse.

ÔNIBUS MAIS LENTOS:

O que os passageiros dizem ter percebido, as empresas de ônibus que operam linhas que passam pela Avenida Celso Garcia afirmam ter medido.

“Nós [empresas de ônibus] fomos pegos de surpresa e estamos colhendo o resultado de um projeto que não passou sequer para a gente dar uma opinião. De fato, a velocidade média de operação nos trechos onde aconteceram as mudanças, antes era de 13 km/h a 15 km/h e agora caiu para uma média de sete (7 km/h)”  – disse por telefone ao Diário do Transporte, o presidente do SPUrbanuss, sindicato das empresas de ônibus do subsistema estrutural (linhas que têm ônibus maiores), Francisco Christovam.

O representante das viações diz que pelo local, passam 27 linhas estruturais (contando com atendimentos) que transportam em média, por dia, 270 mil passageiros.

Já contando as linhas do subsistema local, as intermunicipais e as que servem apenas trechos da Avenida, são em torno de 50 linhas afetadas.

Segundo Francisco Christovam, os prejuízos não têm sido apenas na Avenida, havendo impactos até mesmo nas operações do Terminal Parque Dom Pedro porque, de acordo com o dirigente, os ônibus ficam represados na Celso Garcia e chegam todos juntos ao terminal.

“Na medida em que a gente não consegue organizar a chegada dos ônibus porque eles ficam retidos no congestionamento, os passageiros vão se acumulando e quando chegam, chegam todos os ônibus ao mesmo tempo. As plataformas não têm espaço para acomodar todos os ônibus, cria um caos geral. Tudo isso decorrente do fato de o trânsito represar os ônibus e eles chegam de maneira totalmente desorganizada no terminal e aí fica muito difícil reestabelecer a operação, cumprindo horários de partidas, cumprindo inclusive o número de viagens. Como não conseguimos realizar a viagem no tempo de ciclo previsto, estamos tendo de rever todas as programações das linhas.” – complementou Christovam.

SMT DIZ QUE MUDANÇA É PARA SEGURANÇA DE PEDESTRES E QUE PODE FAZER MUDANÇAS PONTUAIS

Em nota ao Diário do Transporte, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes informou que as mudanças na Celso Garcia foram para aumentar a segurança dos pedestres. Segundo a pasta, o tempo de travessia nos semáforos aumentou em média 20%, com elevação também do total de vezes que os semáforos abrem para os pedestres de 28 para 30. A secretaria ainda informou que as botoeiras que os pedestres acionam para abrir o semáforo, subiram de 37 para 117 unidades.

A pasta ainda disse que ainda é necessário a população se acostumar com as mudanças e que não descarta, se necessário fazer alterações pontuais.

A secretaria também afirmou que nas últimas semanas a velocidade média dos ônibus voltou a subir, mas não informou qual é esta velocidade.

Veja a nota na íntegra:

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes esclarece que a mudança de circulação na Avenida Celso Garcia tem como objetivo aumentar a segurança da via para os pedestres.

 Para permitir uma travessia mais segura para os pedestres, a CET aumentou, em média 20%, o tempo dos cruzamentos semafóricos na Celso Garcia. A medida também ampliou o ciclo semafórico de 28 para 30, que é quantas vezes o semáforo fecha em uma hora para os carros para o pedestre atravessar.

 Os usuários ganharam novas opções de travessias com a implantação de oito novos cruzamentos semaforizados. O corredor Celso Garcia/Rangel Pestana possuía 37 botoeiras para pedestres e, hoje, conta com 117. O número de travessias com grupo focal específico para pedestres subiu de 50 para 89. Além dessas melhorias implantadas, eliminar o contrafluxo de ônibus é fundamental para reduzir acidentes e melhorar a percepção de pedestres na região.

 A implantação de mão dupla de circulação no corredor formado pelas avenidas Rangel Pestana e Celso Garcia, num trecho de 6,7 km, desde o dia 21/07, está sendo acompanhada diariamente pelas equipes de campo da CET e por técnicos da SPTrans. De acordo com a necessidade, ajustes pontuais estão sendo feitos para aprimorar a operação e manter as condições de trânsito e a segurança dos usuários da via.

 Como em qualquer mudança, é necessário tempo para que a população se acostume. Desde o início da mudança, a SPTrans já verificou aumento da velocidade média dos ônibus nas últimas semanas.

OUÇA AS ENTREVISTAS:

Roberto Vicente / Luiz Carlos Modugno / Francisco Chistovam

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

13 comentários em Passageiro de transporte coletivo perde até uma hora com mudança de fluxo na Avenida Celso Garcia

  1. Jefferson Ribeiro ledo // 14 de agosto de 2018 às 09:04 // Responder

    Trageto que levava 10 minutos hoje na Rangel pestana na altura do templo até o largo da Concórdia chega a levar 30 minutos ou mais.

  2. Experimente parar para comprar pão na padaria ver a cruz na Tuiuti. As travessas são todas zona azul, não tem opção para paradas curtas, ou usa zona azul ou estacionamento pago.

  3. Impossível essa mudança ter sido positiva. Demorava 30 minutos da minha casa até a Praça do Correio, agora estou levando cerca de 50 minutos ou mais.

    Está claro que estudo não foram feitos, tanto é que depois da mudança não saiu nenhuma reportagem em lugar nenhum sobre os benefícios de ter colocado carros para circular no sentido bairro-centro.

  4. Gente, não funcionou.

    A alteração piorou sensivelmente o transito.

    Não é vergonha nenhuma aceitar que não deu certo.

  5. Eu moro na vila Curuçá, região de São Miguel Paulista. Há alguns anos a SPTrans retirou a linha que ligava o bairro ao T.P.D.Pedro II (258310), fazendo necessário uma baldeação no trajeto ou no Terminal Aricanduva. Fez o mesmo no cemitério da Saudade, fazendo a 246010 parar no T.A.E. Carvalho. A alegação era sobre posição de linhas e que assim as viagens seriam mais rápidas. Não se tornaram. Eu trabalho na Moóca e utilizo 03 viagens para chegar ao trabalho e antes demorava 80 minutos para ir e 120 para voltar. Agora estou levando 100 minutos para ir e 150 para voltar. A empresa não paga integração, então ou eu tiro do meu bolso a integração com os trens ou eu perco mais uma hora do meu dia no transporte.
    Do que adianta a discutirem tecnologias no ônibus se este não tem prioridade nas vias. E nas poucas vias em há prioridade a retiram.
    Se o problema eram os atropelamentos, então que se reforçasse sinalização, fiscalização e conscientização do pedestre, não retirar a preferência do transporte coletivo para agradar aos novos condomínios do Tatuapé. Nós que moramos na periferia e utilizamos essas linhas de ônibus deveríamos ter sido ouvidos nessa alteração, mas apenas a associação do Pq. São Jorge, que não utiliza ônibus, foi consultada.

  6. William de Jesus // 14 de agosto de 2018 às 19:25 // Responder

    Não é de hoje que a Celso Garcia é um grande problema. Infelizmente a geografia da via não permite sequer construir um corredor de ônibus digno, porque é uma região comercial. Tá na cara que essa mudança foi visando apenas os carros, com certeza quem usa carro reclamou o fato de um dos sentidos ser destinado apenas para ônibus.

    Entra ano e sai ano, entra gestor e sai gestor, e tudo continua exatamente igual, e quando você pensa que não poderia piorar, vão lá e mudam algo para prejudicar todos. Um absurdo!!

    Parece que passaram a enxergar a ideia de ter ônibus com ar condicionado lotado como uma solução..

  7. A população tem q se acostumar com o péssimo, isso não é possível! Que as urnas sejam instrumento para nossa resposta a mudança q não protege nenhum pedestre, não revitaliza a via, prejudica a grande maioria. Realmente, nos faz pensar as verdadeiras razões da implantação infundada e irresponsável dos gestores, pois a Av Celso Garcia abriga várias igrejas evangélicas, incluindo o templo de Salomão (será ?)

  8. Infelizmente o prefeito e o vice-prefeito (agora prefeito oficial) foram eleitos pela maioria da população. A todo momento era claro que a política que entraria na prefeitura seria a mesma aplicada pelo PSDB no governo estadual, ou seja, dar preferência a classe dos comerciantes e visar o bem individual de quem possui mais poder econômico. Agora com este problema, a população terá que correr atrás para tentar reverter ou aguardar um novo governo para saber a possibilidade da reversão. Era mais fácil não ter eleito.

  9. Loretti S. Frade // 15 de agosto de 2018 às 00:18 // Responder

    Conseguiram piorar o transito de uma avenida… hoje a região no entorno da av. Celso Garcia virou um inferno! Mudar para pior é um absurdo! Melhor voltar a ser como antes! Reage CelsoGarcia! Loretti S. Frade

  10. O povo têm os governos que merecem.

  11. Esta bem ruim essa novo sistema que a CET implantou, antes do tatuape a penha levava em media 15 minutos de hoje, ja cheguei a ficar no mesmo trajeto 50 minutos. O corredor de onibus é uma grande porcaria, asfalto ruim enfim …. Vou ter que alterar minha rota …

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Câmara Municipal vai pedir à secretaria de transportes relatório de impacto das mudanças de trânsito da Avenida Celso Garcia – Diário do Transporte
  2. Vereador irá solicitar relatório com os impactos causados pela mudança na Avenida Celso Garcia – Plamurb

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: