Campo Grande receberá 20 novos ônibus em agosto

Foto: Divulgação

Consórcio Guaicurus confirmou que os novos veículos serão entregues antes do aniversário da Capital, dia 26

ALEXANDRE PELEGI

Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul, receberá 20 novos ônibus ainda neste mês de agosto, parte deles articulados.

A informação foi confirmada pelo presidente do Consórcio Guaicurus, João Rezende, em declaração ao portal Campo Grande News: “A previsão é que cheguem nesse mês ainda, sendo dez com ar-condicionado e em veículos longos que farão as linhas troncais“.

A compra dos novos coletivos somou R$ 6,5 milhões.

O Consorcio Guaicurus congrega as quatro empresas que operam o sistema de transporte coletivo urbano de passageiros da capital do Mato Grosso do Sul (MS): Viação Cidade Morena Ltda (empresa Líder), Viação São Francisco Ltda, Jaguar Transporte Urbano Ltda e Viação Campo Grande Ltda.

Os novos ônibus virão como um presente de aniversário à capital do MS, que neste mês (dia 26) completa 119 anos.

Em maio deste ano o prefeito Marcos Trad chegou a prometer “no mínimo mais uma dezena” de novos ônibus para a frota do transporte público da cidade. Em um evento, ele afirmou que os veículos deveriam entrar em operação até o aniversário da Capital.

A frota que atualmente opera no transporte coletivo de Campo Grande soma 598 veículos. O processo de renovação da frota, iniciado no ano passado, é financiado pelo programa federal Refrota (Frota do Transporte Público Coletivo Urbano) do Ministério das Cidades.

Em fevereiro deste ano o prefeito sancionou lei complementar que garante isenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISSQN) para as empresas de transporte coletivo da cidade pelo período de um ano, valendo, portanto, até 31 de dezembro de 2018. A lei de isenção do ISS determina que o desconto seja repassado ao preço da tarifa.

Recentemente a Lei de Diretrizes Orçamentárias, publicada no Diário Oficial do Município, previu isenção fiscal ao setor de transporte coletivo para os anos 2019, 2020 e 2021. O aumento da isenção ocorrerá de forma progressiva nos três anos, chegando a um total aproximado de R$ 38,5 milhões.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta