Nova empresa de transporte coletivo passa a atender Timbó (SC) nesta quinta-feira

O novo acordo para o transporte coletivo no município foi fechado nesta semana, após vários dias de negociações. Foto: Sócrates Prado

Após o rompimento de contrato com a Lancatur, por decisão judicial, Expresso Presidente assume

JESSICA MARQUES

Uma nova empresa de transporte coletivo passa a atender Timbó, em Santa Catarina, a partir desta quinta-feira, 9 de julho de 2018. Após o rompimento de contrato com a Lancatur, por decisão judicial, Expresso Presidente vai assumir a operação dos ônibus municipais.

O novo acordo para o transporte coletivo no município foi fechado nesta semana, após vários dias de negociações. O contrato entre a Expresso Presidente e a Prefeitura será emergencial, de 12 meses.

Com a mudança, os passageiros vão sentir a diferença no bolso, pois as passagens terão um aumento e passarão a custar R$ 4, conforme informado pela Prefeitura. O novo valor foi definido com base na planilha de cálculos da nova empresa.

“Servidores do Departamento Municipal de Trânsito de Timbó – Demutran, já estão incumbidos de nas primeiras semanas fazerem a fiscalização de rota e conduta no atendimento da nova empresa”, informou a Prefeitura, em nota.

Segundo o prefeito Jorge Kruger, que participou das negociações, várias linhas serão readequadas, bem como os horários.

A Prefeitura também informou que vai notificar a empresa Lancatur para que seja efetuado o ressarcimento para os usuários que possuírem passes antigos, comprados com antecedência nos escritórios da empresa.

A nova empresa de transporte coletivo urbano do município de Timbó, Expresso Presidente, começa a venda de passagens e passes na bilheteria da empresa também a partir desta quinta-feira.

A bilheteria estará localizada numa sala, junto ao Terminal Urbano Donigo Wolter, conforme informado pela Prefeitura. A administração municipal informou, em nota, que não haverá, por enquanto, venda de passes no guichê da empresa localizado na rodoviária.

“A empresa se comprometeu, ainda, de no prazo de 60 dias, iniciar as instalações do sistema eletrônico de passes no município, através de cartão, o qual facilitará o controle e trará mais comodidade aos usuários”, informou a Prefeitura.

LANCATUR

Conforme informado pela mídia local, a Lancatur alegou desequilíbrio econômico do contrato e baixa demanda de passageiros na cidade. Depois de publicada a decisão judicial, a empresa anunciou que operaria até 8 de agosto.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: