Prefeitura de Assis compra 10 ônibus e municipaliza o transporte público

Foto: prefeitura de Assis (SP)

A medida, segundo informa o site oficial da prefeitura, foi tomada “como medida de contenção de gastos”

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Assis, cidade do interior paulista com cerca de 100 mil habitantes, assumiu desde esta segunda-feira, dia 6 de agosto de 2018, o transporte público municipal.

A medida, segundo informa o site oficial da prefeitura, foi tomada “como medida de contenção de gastos”, visto que findou ontem, dia 5 de agosto, o contrato emergencial com a empresa que prestava os serviços de transporte coletivo na cidade.

A prefeitura informa ainda que adquiriu 10 ônibus com recursos próprios a R$ 69.500,00 cada. Os veículos são ano 2009 com adaptação para cadeirante.

Quanto à tarifa, a administração municipal garante que o valor atual, de R$ 4,00, será mantido. E garantiu ainda gratuidade nas viagens realizadas aos sábados e domingos.

Em um vídeo publicado pelo Youtube, o prefeito José Fernandes explicou como funcionará o sistema a partir de hoje. Ele disse que a prefeitura vinha gastando perto de R$ 150 mil por mês com o serviço de transporte, e disse esperar que a partir de hoje este valor seja diminuído.

SITUAÇÃO EMERGENCIAL

No final de 2017 a prefeitura rompeu o contrato com a Rápido Turismo, empresa que prestava o serviço de transporte. Insatisfeita com a qualidade do atendimento da empresa, a prefeitura rejeitou o pedido de reajuste da passagem feito pela Rápido Turismo, que elevaria o valor para  R$ 8,40.

A partir do início deste ano outra empresa assumiu emergencialmente o contrato, que expirou neste domingo.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

3 comentários em Prefeitura de Assis compra 10 ônibus e municipaliza o transporte público

  1. Joao Luis Garcia // 6 de agosto de 2018 às 17:31 // Responder

    Vamos ver quanto tempo a Prefeitura irá aguentar a custear o serviço sem reajuste na tarifa.
    A Câmara dos Vereadores terá que desempenhar um papel importante na fiscalização.
    Como ficará o recolhimento aos cofres públicos do ISS ?
    O FGTS e INSS dos funcionários da empresa será recolhido ?
    Vamos aguardar o final dessa novela

  2. Cláudio Martins de Amorim // 6 de agosto de 2018 às 18:41 // Responder

    Carro pra trabalho tem que ser novo ou no mínimo 3 anos de uso,esse prefeito só quer fazer média pois época de eleição,ele gastava 150 mil por mês com o serviço terceirizado e pensa que vai gastar menos ?
    Deixa começar a rodar e vir as manutenções.
    Espera pra verem .

  3. Nao existe nada gratuito, alguem vai pagar a conta.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: