Catarinense diz que supressão de linhas vai evitar sobreposições e nega que operações de trajetos serão descontinuadas

Empresa vai deixar malha mais racional. Foto Adamo Bazani (Clique para ampliar)

Ao menos 19 serviços tiveram autorização da ANTT para cancelamento ou extinção

ADAMO BAZANI

A Viação Catarinense, do Grupo JCA, confirmou ao Diário do Transporte, nesta terça-feira, 24 de julho de 2018, por meio da assessoria de imprensa, que realiza ajustes na operação de suas linhas.

Nesta segunda, 23, a ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, responsável pelo gerenciamento dos serviços interestaduais e internacionais, publicou deliberações para supressão de ao menos 19 trajetos da empresa.

Entre as linhas estão:

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Florianópolis (SC), prefixo nº 09-0042-00.

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Foz do Iguaçu (PR) – Joinville (SC), prefixo nº 09-0219-60

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Piçarras (SC), prefixo nº 09-0037-00

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba/PR – Porto Alegre/RS e suas seções, prefixo nº 09-0031-30

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Porto Alegre/RS – Joinville/SC, prefixo nº 10-0000-30

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Campo Mourão (PR) – Aparecida (SP), prefixo nº 09-0334-00

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Brusque (SC), prefixo nº 09-0009-00

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Itajaí (SC), prefixo nº 09-0007-00, e suas seções.

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – São Francisco do Sul (SC), prefixo nº 09-0232-60

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Foz do Iguaçu (PR) – Balneário Camboriú (SC), prefixo nº 09-0220-60

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Criciúma (SC), prefixo nº 09-0370-00.

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba/PR – Taio/SC, prefixo nº 09-0011-00, e suas seções.

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Foz do Iguaçu/PR – Rio do Sul/SC, prefixo nº 09-0035-60.

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Blumenau (SC), prefixo nº 09-0227-00

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Ijuí (RS), prefixo nº 09-0023-00

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Lages (SC), prefixo nº 09-0221-00

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Criciúma (SC) – São Paulo (SP), prefixo nº 16-0000-30

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha São Paulo (SP) – Itajaí (SC), prefixo nº 08-0003-60.

– Deferir o pedido da empresa AUTO VIAÇÃO CATARINENSE LTDA. para a supressão da linha Curitiba (PR) – Florianópolis (SC), prefixo nº 09-0042-00

Relembre matéria em: https://diariodotransporte.com.br/2018/07/23/antt-autoriza-empresas-de-atuacao-regional-a-fazer-linhas-interestaduais-e-internacionais-e-supressoes-de-servicos-da-catarinense/

Em nota, ao Diário do Transporte, a Catarinense informou que faz ajustes na operação. Um dos objetivos é eliminar sobreposições de linhas e horários.

A companhia ainda diz que nenhum atendimento será descontinuado. Assim, os trajetos relacionados no Diário Oficial desta segunda-feira continuarão sendo feitos pela empresa.

“A Viação Catarinense comunica que, a respeito das resoluções da ANTT, publicadas no Diário Oficial da União, algumas linhas e/ou horários que estavam sobrepostos sofrerão alteração, porém nenhuma operação será descontinuada. As mudanças contemplam um ajuste operacional de rotas, conforme prática usual do setor.”

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Cleonice disse:

    Infelizmente, quem é PcD e precisa ir de Balneário Camboriú até Curitiba, teve um grande prejuízo, pois não há vagas disponíveis até as 10:30′ da manhã. Todos que necessitam de algum atendimento médico ou de qualquer outra procedência só consegue chegar na capital paranaense por volta das 14 horas. Acho isso, no mínimo um descaso e um desrespeito com quem necessita do serviço.

  2. Marilu disse:

    Nossa minha família e eu usamos a linha Curitiba – São fraFranci do sul, se tirar como vamos fazer?? Catarinense está falida??

    1. Daniel Ramos de Oliveira disse:

      Não amigo, a Catarinense não está falida. O que a nota deixa claro, é que ela fez readequações, pois havia uma série de sobreposições de linhas.

      Por exemplo, no trecho Curitiba x São Francisco do Sul, até então era operado por duas linhas:

      1) Curitiba x São Francisco do Sul e;
      2) Curitiba x Enseada (que atendia também a cidade de São Francisco do Sul)

      Agora com a sobreposição da linha 1, apenas a linha 2 atende a cidade de São Francisco do Sul, ou seja, a cidade será atendida, mas como seção da linha Curitiba x Enseada.

      No caso, daqui de Itajaí, a linha Itajaí x São Paulo já não era operada, pois operava as linhas: Balneário Camboriú x São Paulo, Florianópolis x São Paulo e Florianópolis x Campinas-Via São Paulo, ou seja, não havia necessidade de ter mais uma linha, para operar sazonalmente.

      Fazendo isso, ela aproveita melhor a frota.

      1. Ligeiro disse:

        Com o perdão, mas aí aproveito para dizer que foi uma falha no Diário do Transporte ao noticiar sem detalhar o porquê, algo que você fez melhor com poucas palavras.

        De fato, toda redução de frota e horário é prejudicial, e é compreensível quando uma matéria é destacada pelo fato da remoção de linhas.

        O ponto extra – e nisso não é discutido com afinco – é:

        – A JCA/Catarinense é quase que monopólio no Estado para algumas linhas. A operação dela é quase onipresente, apenas não atuando em algumas regiões, ou com concorrência em outras poucas regiões.

        – Mesmo uma manutenção de maiores linhas poderia auxiliar na demanda. Nisso, a culpa em partes é da ANTT devido a necessidade de fazer pré-aprovação de linhas, não sem razão.

        – Detalhe extra é que ao menos no eixo São Paulo – Curitiba – Joinville – Florianópolis, hoje há uma concorrência maior da JCA com outras poucas operadoras: Eucatur e Planalto.

    2. Daniel Ramos de Oliveira disse:

      Amigo, fique tranquilo a Catarinense está longe de está falida. Na verdade, o que ela fez foi uma readequação de linhas.

      No caso de São Francisco do Sul, no trecho Curitiba ela têm autorização para duas linhas no trecho:

      09-0017-00- Curitiba x São Francisco do Sul (Serviço: Convencional com WC)
      09-0232-60- Curitiba x São Francisco do Sul (Serviço: Executivo)

      No caso, foi apenas cancelada a segunda linha, enquanto que a primeira permanece operacional.

  3. MARIO EDSON FRASSETTO disse:

    O que falta é vergonha na catc da ANTT, pois as empresas fazem o que querem. Falta é de voncorrencon das empresas e não esses acordos com ANTT.

  4. Diogo disse:

    Na reunião de ontem da antt foram discutidos mais 24 processos que também podem ser supressões de linhas.

  5. MARCOS NASCIMENTO disse:

    Uma coisa é certa, isso está ocorrendo em TODO o território nacional com as linhas fiscalizadas pela ANTT e em vários Estados pelo BRASIL com as revisões de horários e itinerários no transporte INTERMUNICIPAL. E infelizmente, pelas cidades de pequeno, médios e grande porte, via PREFEITURAS que fiscalizam o transporte urbano e que de tempos em tempos também promovem MUDANÇAS de horários, racionalização de itinerários, cortes de linhas e criação de uma ou outra linha para atender áreas supostamente atingidas pelos cortes nas outras linhas. A faca nesse momento está passando em JOINVILLE nos 2 maiores terminais de bairro da cidade. o TERMINAL IRIRIU e o TERMINAL ITAUM onde tudo mudará a partir de segunda 30-07-18. As prefeituras, governos estaduais e o governo federal via ANTT sempre, mas SEMPRE estiveram atendendo aos interesses da classe empresarial. A partir das cidades, nas chamadas reuniões nas associações de moradores coisa difícil é mudar alguma coisa que atenda ao interesse dos trabalhadores, seja a inclusão de um novo ponto coberto em uma rua, seja a pavimentação imediata de uma rua, seja a colocação de luminárias nos mais perigosos e escuros pontos de onibus, seja a inclusão de mais horários no pico etc… Infelizmente esta é a realidade excetuando-se um ou outro municipio e/ou Estado, mas a verdade é que os interesses dos usuários, trabalhadores e estudantes sempre dependem dos chamados grupos de estudo de técnicos burRocratas á serviço do “sistema”. Examine aí na sua cidade e veja se não tenho razão.

    1. adriano disse:

      Marcos, boa noite,

      Você disse tudo e a sua percepção está correta. Aqui onde moro ( Hortolândia/SP), a empresa que presta serviço de transporte de passageiros (intermunicipal, Hortolândia – Campinas) cortou vários horários, reduziu em 30% a frota ( de um total de mais ou menos 180 carros entre convencionais e articulados), transferiu os carros mais novos (onibus articulados que não eram tão novos assim, ano 2012) para outras empresas do grupo em outras cidades e agora deram o tiro de misericórdia na população; estão tirando aos poucos (uma linha de cada vez) os cobradores dos onibus e sobrecarregando os motoristas na dupla função. Detalhe; 70% do trajeto é feita por rodovia estadual e além disso a maior parte da frota está com 11 anos de uso intenso e manutenção precária.
      O resultado já sentimos no dia-a-dia; motoristas estressados, horários atrasados, super-lotação, onibus que quebram no meio do trajeto e por fim, tudo com o aval da EMTU que deveria fiscalizar, punir e na verdade nos diz que está tudo dentro do estipulado no contrato, ou seja, o povo que se lasque!!!!!

Deixe uma resposta para MARIO EDSON FRASSETTO Cancelar resposta