Pesquisa internacional coloca sistemas de transportes públicos de cidades brasileiras entre os piores do mundo

Nice, na França, é a cidade com melhor transporte coletivo, de acordo com pesquisa – Foto ; Divulgação

Levantamento usou índices de aplicativo

ADAMO BAZANI

Um levantamento do instituto de pesquisa Expert Market sobre sistemas de transportes em diversas partes do mundo coloca cidades e regiões brasileiras no ranking das piores avaliações.

Com sede em Austin, nos Estados Unidos, a empresa se baseou em dados do aplicativo Moovit como tempo de viagem necessário para o cidadão conseguir fazer seus descolamentos cotidianos, tempo de espera para conseguir ter acesso ao transporte coletivo, quantidades necessárias de baldeações e o peso que as tarifas têm no bolso do cidadão, considerando o impacto sobre a renda mensal média.

A pesquisa foi feita a partir de um levantamento da revista Time Out, de Londres, que apontou que o tempo gasto nos deslocamentos mexe até mesmo com o humor das pessoas.

Apesar de não considerar as especificidades de cada região analisada e o fato de que muitas vezes há problemas externos à atuação das operadoras de transporte que influenciam em indicadores como tempo de viagem, a pesquisa vem ao encontro de muitas queixas dos usuários no Brasil, como demora nos pontos e viagens demoradas, muitos dos quais ocorrem porque o transporte coletivo não tem prioridade no espaço urbano.

Ônibus contam com poucos corredores e as malhas metroferroviárias são tímidas em todo o País.

Foram analisados 74 sistemas, dos quais, sete brasileiros. A cidade de Campina Grande, na Paraíba, segundo a Expert Market, é o sistema brasileiro com melhor avaliação, na 29ª posição.

Figura como o pior sistema brasileiro, e do mundo, o do Rio de Janeiro, na posição de número 74.

Confira o ranking das brasileiras:

29 – Campina Grande

56 – Santos e Baixada Santista

61 – Campinas e Região

64 – Curitiba

68 – Brasília

70 – Salvador

72 – São Paulo

74 – Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, segundo o levantamento, o tempo médio diário para os passageiros esperarem pelo ônibus, trem ou metrô é de 19 minutos. Já os deslocamentos nos transportes públicos consomem em média 1h30 do dia dos passageiros. Os deslocamentos são de, em média, 12 km por dia para o trabalho, o que indica também a necessidade de planos diretores que aproximem a oferta de emprego da casa das pessoas e mudanças nas relações de trabalho, como o home office.

Ainda de acordo com a pesquisa, no Rio, a pior colocada, o custo das tarifas são de, em média, R$ 160 por mês, o equivalente a 9,4% da renda mensal média do cidadão.

Confira todos os resultados

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Claudio disse:

    Alguém tem dúvida?

  2. Carlos Santana disse:

    …Eu tenho várias dúvidas. Nós com certeza temos problemas. Mas eles também existem em Santiago, Lagos,Índia… entretanto é mais um indicador que nos mostra que temos um longo caminho pela frente. Ele começa em Outubro de 2018.

  3. é possivel acessar a fonte?

    1. blogpontodeonibus disse:

      No site da Expert Market há esta tabela e os dados.

Deixe uma resposta