Motoristas de ônibus e cobradores entram em greve em Porto Velho

A greve é por tempo indeterminado. Foto: Prefeitura de Porto Velho.

Paralisação é realizada em protesto contra a legalização do Táxi Compartilhado

JESSICA MARQUES

Os motoristas de ônibus e cobradores de Porto Velho cruzaram os braços nesta terça-feira, 10 de julho de 2018. Segundo informações da Rede Amazônica, nenhum veículo saiu da garagem nesta manhã.

A paralisação está sendo realizada em protesto contra a legalização do serviço de Táxi Compartilhado na capital. O projeto tramita na Câmara dos Vereadores. A greve é por tempo indeterminado.

A categoria é contra o serviço de Táxi Compartilhado, pois acredita que os taxistas usam a mesma rota do transporte coletivo, o que causa uma competitividade e, por consequência, prejuízos.

Nesta manhã, os trabalhadores não tiveram acesso aos veículos para iniciarem os trabalhos. Nesta segunda-feira, 9 de julho, os ônibus também não circularam por volta do meio-dia, pelo mesmo motivo.

Na segunda, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Rondônia (Sitetuperon) disse que os motoristas voltaram ao trabalho após o cancelamento da votação do projeto que garante a permanência do sistema de Táxi Compartilhado na cidade.

Em nota, o consórcio SIM informou que a greve “não se deve a fatores internos” e informa que 14 veículos foram “sequestrados”.

Veja abaixo a nota do SIM sobre a greve dos trabalhadores:

“O Consórcio SIM vem a público esclarecer que o movimento de paralisação do Transporte Coletivo não se deve a fatores internos ou de falta de cuidado com suas obrigações ou respeito com trabalhadores ou com a população. Reitera que desde o início de sua operação, sempre cumpriu com todos os compromissos assumidos com a Administração Pública e com os trabalhadores. Que mantém rigorosamente em dia todos os pagamentos e direitos trabalhistas. Na data de ontem, tão logo recebeu o comunicado do SITETUPERON, comunicou à imprensa e às autoridades e tomou as medidas legais cabíveis para manter a ordem e o perfeito funcionamento dos serviços. Nesta madrugada, infelizmente o movimento grevista se iniciou e, além disso, quatorze veículos foram sequestrados a força da garagem da empresa. O Consórcio SIM reforça que não apoia e não pactua com movimentos desta natureza e que são prejudiciais à população. Bem como, está tomando todas as medidas judiciais necessárias para recuperar os veículos, para dentro da melhor e mais segura forma, restabelecer a prestação dos serviços à população.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta