Santa Catarina pode ter mais de 5 milhões de carros até o fim de 2018

A proporção é de dois veículos licenciados para cada três pessoas

Segundo o Detran/SC, estado tem entre 12 mil e 17 mil novos emplacamentos por mês

JESSICA MARQUES

O estado de Santa Catarina pode chegar a ter mais de 5 milhões de carros até o fim de 2018. Segundo informações do Detran/SC (Departamento Estadual de Trânsito), o estado tem entre 12 mil e 17 mil novos emplacamentos por mês.

Seguindo esse ritmo, com a frota atual de 4,9 milhões de veículos, a marca de 5 milhões de carros deve ser alcançada facilmente entre outubro e dezembro, conforme publicado pelo Diário Catarinense.

A proporção é de dois veículos licenciados para cada três pessoas, uma vez que a população do estado é de 7 milhões de pessoas, segundo estimativa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Em 2003, havia um veículo para cada três habitantes, contudo, o crescimento da frota no estado foi seis vezes maior que o aumento da população nos últimos 15 anos, segundo publicação do Diário Catarinense.

A maior concentração automotiva está na Região Metropolitana da Grande Florianópolis. Contando a Capital, São José e Palhoça, são 612,7 mil veículos.

Jessica Marques para o Diário do Transporte*
*
Com informações do Diário Catarinense.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Ainda é tempo de fazer mais corredores de ônibus segregados no trânsito urbano para que as maiores cidades não parem no congestionamento. Em tempo: Lembrar que se todos os habitantes de uma cidade usassem automóveis, ela teria que ser construída em outro lugar porque seria necessário dedicar todo seu espaço para circulação. Ou então construí-la toda sobre pilotis. No outro caso extremo está Guanajuato, no México, onde não circulam automóveis (mas é uma condição muito peculiar: É uma cidade pequena com um único estacionamento no centro acessível por um túnel). É também particularmente especial por terem morado lá Frida Kalo e Diego Rivera em uma casa que agora é museu. R.Belda

Deixe uma resposta