Greve no transporte escolar afeta alunos de Paulínia (SP)

Segundo o sindicato, nenhum ônibus saiu da garagem nesta manhã. Foto: Foto: Izael Almeida/Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário e Anexos de Campinas e Região

Segundo o sindicato dos trabalhadores, nenhum ônibus da Sancetur saiu da garagem nesta quarta-feira

JESSICA MARQUES

Uma greve no transporte escolar afetou os alunos de Paulínia, no interior de São Paulo, desde a manhã desta quarta-feira, 13 de junho de 2018. Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário e Anexos de Campinas e Região, nenhum ônibus da Sancetur saiu da garagem hoje.

Os motoristas e monitores que trabalham no transporte escolar aderiram à paralisação por reivindicação de direitos trabalhistas. A greve foi decidida na manhã desta quarta-feira, em assembleia feita na garagem, e não há prazo determinado para que o trabalho seja retomado.

Segundo informações do sindicato, os salários estão atrasados, as horas extras não estão sendo pagas e não está sendo feito o recolhimento do FGTS, nem do INSS.

Outra contestação é o desconto do vale-refeição em dias de atestado. Os ônibus também estão sem manutenção, de acordo com o sindicato.

A Prefeitura informou ao G1 que está “buscando alternativas para viabilizar o transporte das crianças”, mas não informou quantos estudantes foram afetados. A Sancetur não deu retorno.

Em fevereiro deste ano, os trabalhadores também entraram em greve por atraso no pagamento de salários e benefícios. Na época, aproximadamente 2,5 mil estudantes foram prejudicados no período da manhã.

Segundo informações do G1, aproximadamente oito mil alunos são transportados nos 120 veículos da empresa.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: