Circulação de ônibus será interrompida em Belo Horizonte, caso outro coletivo seja incendiado

Ataques a ônibus em Minas Gerais já somam 69 casos. Foto: Reprodução / TV Globo

Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros informou que serviço pode ser suspenso entre 21h e 4h, nesta quarta-feira

JESSICA MARQUES

Os ataques a ônibus em Minas Gerais já somam 69 casos. O número assusta tanto os passageiros quanto os empresários. Frente à gravidade da situação, o SetraBH (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte) informou, nesta quarta-feira, 13 de junho de 2018, que se outro ônibus do transporte coletivo da capital for incendiado, a circulação será interrompida entre 21h e 4h.

Na sexta-feira, 8 de junho de 2018, o SetraBH informou, em nota, que a circulação seria interrompida se os ataques não cessassem. Nesta quarta, a posição do sindicato foi reforçada à mídia local.

Os ataques a ônibus em Minas Gerais tiveram início em 3 de junho. Até o momento, 40 cidades foram atingidas. Em Belo Horizonte, três coletivos foram incendiados e, em todo o estado, foram 69 casos.

Apesar do posicionamento do sindicato, a BHTrans informou, em nota, que se alguma viagem não for realizada, as empresas concessionárias podem ser punidas. O órgão reforçou que o contrato deve ser cumprido e que o serviço não pode ser suspenso.

ATAQUE EM VESPASIANO

O último registro de ônibus queimado em Minas Gerais foi na noite desta terça-feira, 12 de junho de 2018. O caso ocorreu em Vespasiano, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com informações da Polícia Militar, o coletivo operava a linha 5630 (Jardim Bela Vista/Terminal Morro Alto) e ficou totalmente destruído com o fogo. Alguns dos suspeitos se passaram por passageiros para incendiar o veículo.

Ninguém ficou ferido e o motorista informou à polícia que pelo menos seis adolescentes teriam participado da ação, que resultou no incêndio do ônibus.

O ataque ocorreu no bairro Novo Horizonte, local onde o coletivo parou para desembarque de passageiros. Neste momento, suspeitos que estavam dentro do ônibus se uniram a homens que estavam do lado de fora, com galões, para incendiar o veículo.

Como este caso ocorreu na região metropolitana e não na capital, o SetraBH não contabiliza como um próximo ataque, portanto, não suspenderá a circulação de ônibus por conta desta ocorrência.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: