Quatro suspeitos são presos por planejar ataque a ônibus em Minas Gerais

Desde 3 de junho, foram 108 ataques em Minas Gerais, sendo 68 ônibus incendiados em 39 cidades do estado. Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros

Dois homens e dois adolescentes estavam com galão de gasolina, toucas ninja e cópia de arma

JESSICA MARQUES

Quatro suspeitos foram presos por planejar ataque a ônibus no bairro Citrolândia, em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Segundo informações da Polícia Militar, dois homens e dois adolescentes estavam com galão de gasolina, toucas ninja e cópia de arma.

Os objetos foram apreendidos na madrugada deste domingo, 10 de junho de 2018. O galão estava com cinco litros de gasolina e havia uma caixa de fósforo junto aos itens.

A PM informou que os quatro foram detidos em flagrante. Os suspeitos têm 14, 16, 18 e 24 anos. Todos foram encaminhados para a Delegacia de Plantão de Betim.

A abordagem foi feita durante um patrulhamento. Na ocasião, os suspeitos tentaram fugir para um matagal e foram perseguidos.

Desde 3 de junho, foram 108 ataques em Minas Gerais, sendo 68 ônibus incendiados em 39 cidades do estado. A Polícia Militar encontrou um bilhete dizendo que os incêndios vão continuar.

Relembre: Número de ônibus incendiados em Minas Gerais sobe para 68

Na última semana, Raul Jungmann, ministro da Segurança Pública, prometeu uma verba para combater os ataques a ônibus em Minas Gerais.

Relembre: Jungmann promete R$ 50 milhões para combater ataques a ônibus em Minas Gerais

Leia também: Minas Gerais contabiliza 60 ataques a ônibus em 29 cidades, nos últimos quatro dias

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Este assunto de segurança pública tem relação com a psicologia social: O serviço de transporte público, mesmo sendo privado, é “imagem do governo”. E isto é assim no Brasil como em outros países. Antes, queimavam, aqui, até trens de passageiros urbanos, mas foi realizado com sucesso, financiado pelo BNDES, um estudo técnico de como reduzir o material comburente na sua fabricação. O caso dos ônibus, é mais complexo por ser necessário que o veículos sejam leves, o que condiciona a utilização do material a ser empregado. Sobre o caso dos trens, existe relatório técnico do estudo mencionado na biblioteca da Companhia do Metrô de São Paulo na Rua Augusta 1626 em S. Paulo – Capital.

Deixe uma resposta