Táxi de Porto Alegre terá de aceitar pagamento em cartões

Foto: Guilherme Almeida / Câmara Municipal Porto Alegre

Prefeito Nelson Marchezan deve sancionar lei aprovada na Câmara até o fim desta semana

ALEXANDRE PELEGI

A Câmara de vereadores de Porto Alegre aprovou o projeto de lei (PL) que modifica as regras para o serviço de táxi na capital gaúcha. O projeto é de autoria do Poder Executivo, e prevê várias medidas de segurança com vistas a aumentar a credibilidade do serviço.

O PL segue agora para sanção do prefeito Nelson Marchezan, o que deve ocorrer até o fim desta semana. A legislação aprovada determina que toda a frota de táxis da capital gaúcha deverá oferecer a opção de pagamento com cartões de débito e crédito.

Outra determinação do PL é a exigência da realização de exames toxicológicos pelos motoristas, e o uso de biometria para acionar o taxímetro em cada viagem.

Marcelo Soletti, presidente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), garantiu que as novas regras serão cobradas conforme cronograma que ainda será montado pela prefeitura. Soletti destaca, no entanto, que as primeiras medidas a serem exigidas são o exame toxicológico e a biometria.

O projeto, elaborado pela prefeitura, teve o objetivo de melhorar o serviço de táxi de Porto Alegre, o que incluiu a criação da Categoria Executiva.

O PL, no entanto, sofreu emendas dos vereadores, e algumas delas poderão ser vetadas pelo prefeito Nelson Marchezan.

A nova legislação, proposta e aprovada pela Câmara, definiu também os seguintes pontos: flexibilização do tempo de vida útil da frota; definição de um padrão de vestimenta para os taxistas; empresa de GPS passa a ser escolhida por cada taxista (atualmente, a EPTC licita uma única empresa); reajuste da tarifa a cargo da categoria; possibilidade de descontos por meio de aplicativos; e a redefinição das condições para emissão da Identidade do Condutor de Transporte Público.

Porto Alegre tem hoje uma frota de táxi com 3.920 carros, média de 365 habitantes por carro.

São 10.800 condutores cadastrados, com 100% da frota com veículos de quatro portas e ar-condicionado e uma idade média de 3,8 anos.

Cada táxi percorre, em média, 8 mil quilômetros por mês e 97,2 mil quilômetros por ano. São 153 pontos fixos e 177 pontos livres espalhados pela capital gaúcha, sendo que os principais são: Rodoviária (382 táxis), Aeroporto (210 táxis) e Hospital de Clínicas (43 táxis).

Lei Geral dos Táxis: http://www.camarapoa.rs.gov.br/processos/132378

Alexandre Pelegi, jornalistas especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: