Polícia Militar prende 30 pessoas por incêndio a ônibus em Minas Gerais

Crimes ocorreram em ao menos 16 cidades. Foto: Divulgação

Oito dos suspeitos foram pegos em flagrante

JESSICA MARQUES

A Polícia Militar de Minas Gerais prendeu trinta pessoas nesta segunda-feira, 4 de junho de 2018, por participarem do incêndio de mais de 35 ônibus no estado. Oito dos suspeitos foram presos em flagrante.

Segundo informações do G1, além dos incêndios, também foram registrados crimes de dano ao patrimônio e posse ilegal de arma de fogo.

Os crimes ocorreram em ao menos 16 cidades, incluindo Belo Horizonte, Uberlândia, Uberaba e Varginha.

A linha de investigação das polícias Civil, Mlitar e Federal, junto à inteligência do Sistema Prisional, é checar se os ataques estão ligados a facções criminosas. Se for o caso, é possível que também tenham comandado ataques no Rio Grande do Norte.

Em nota, o governo de Minas Gerais informou ao G1 que “está empenhado na resolução e no esclarecimento das motivações que levaram à queima de ônibus e outros eventos de segurança desde o último domingo, em diferentes cidades mineiras”.

Relembre: Em menos de 24 horas, pelo menos 18 ônibus são incendiados em Minas Gerais

Leia também: Empresas de ônibus retiram veículos de circulação em Minas Gerais, após ataques

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    O ataque a ônibus urbanos não é exclusividade de cidades brasileiras. Ocorre como protesto em relação ao(s) governo(s) por serem serviços públicos. No passado, também queimavam trens de subúrbio. Isto ocorria até que o BNDES financiou um estudo sobre construção de “vagões” (denominação popular de carros ferroviários de passageiro) com menos material comburente (inflamável). A este respeito existe exemplar do relatório final na Biblioteca do Metrô de S. Paulo na rua Augusta 1626.São Paulo – S.P.

Deixe uma resposta