Empresas de fretamento do ABC sofrem prejuízo com falta de combustível e viagens canceladas

Somente neste fim de semana, no feriado prolongado, algumas empresas do ABC Paulista registraram 30% das viagens de turismo canceladas. Foto: Adamo Bazani

Problemas foram reflexos da greve dos caminhoneiros que ocorreu nas últimas semanas de maio

JESSICA MARQUES

As empresas de fretamento do ABC Paulista tiveram prejuízo após a greve dos caminhoneiros, que ocorreu nas últimas semanas de maio, no país. Os principais problemas acarretados foram falta de combustível e viagens canceladas.

O SINFRET (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo), que representa as empresas do setor na região do ABC Paulista, realizou um levantamento sobre os impactos da greve.

“Entre os prejuízos constatados, o levantamento registrou empresas que tiveram 40% das viagens canceladas pelos clientes, que não possuíam matéria-prima ou demais componentes fabris para que seus funcionários continuassem trabalhando” – informou o sindicato.

Somente neste fim de semana, no feriado prolongado, algumas empresas do ABC Paulista registraram 30% das viagens de turismo canceladas.

Contando com o feriado, a greve dos caminhoneiros gerou prejuízo de 25% no mês, contando com essas viagens eventuais.

“No que diz respeito ao abastecimento, outras empresas do setor tiveram prejuízo de quase 20% comprando diesel fora (diretamente nos postos), ou seja, pagando o preço da bomba” – informou também o Sinfret, em nota.

O SINFRET é filiado à Fresp (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo), que congrega os sindicatos regionais do setor no Estado de São Paulo.

De início de abrangência estadual, o Sindicato hoje atua em sete municípios da região do ABC (Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul). A entidade está localizada na Rua Marli, 21, em São Bernardo do Campo.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta