Termina em impasse reunião com caminhoneiros em São Paulo e fim próximo da greve é incerto. Nova reunião agora em Brasília

Reunião acabou agora há pouco em São Paulo e resultados não agradaram categoria

ADAMO BAZANI

Terminou no início desta noite em São Paulo o encontro entre representantes do Governo Federal, dos caminhoneiros e o governador Márcio França.

O Governo Federal não vai atender a todas as reivindicações da categoria, o que deixa incerto o fim próximo da greve.

A equipe do presidente Michel Temer, representada pelo deputado federal Marcelo Squassoni, disse que não será possível ampliar o desconto de 10% no preço do diesel de 30 dias para 60 dias, uma das reivindicações da categoria.

O problema seria orçamentário, já que a União teria de bancar a diferença das variações do preço internacional do petróleo para a Petrobrás.

Sobre a não cobrança do eixo suspenso nas praças de pedágio, em todo o País, o deputado disse que não será possível nesta terça-feira, só a partir de quinta.

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, não esteve na reunião como prometeu e falou por meio do deputado.

O Governo Federal ofereceu aumento do desconto no preço do diesel nas bombas de R$ 0,41 para R$ 0,46.

A equipe de Temer disse que se comprometeria a criar mecanismos para que os Procons verifiquem com mais vigor se os descontos seriam repassados mesmo nas bombas e ainda garantiu articular maior agilidade no Congresso de projetos para regular os fretes do setor, estipulando preço mínimo. Leia mais: https://diariodotransporte.com.br/2018/05/27/senado-convoca-sessao-para-votar-urgencia-de-projeto-de-regulacao-dos-precos-minimos-do-frete/

Diante do impasse, o Govenador Márcio França decidiu adiar por dois dias as promessas que tinha feito para terça-feira aos caminhoneiros, como a questão das praças de pedágios.

Os caminhoneiros estão cumprindo o acordo, desmobilizando (as interdições). O Governo Federal também está tentando fazer sua parte, mas ainda não consegue atender a todas as demandas. Então, vamos intermediar outro prazo para a desmobilização do movimento para a zero hora de quinta-feira”, explicou o governador, de acordo com nota do Palácio dos Bandeirantes.

Uma nova reunião entre caminhoneiros e Governo Federal acontece agora, desta vez em Brasília.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Leila Arantes disse:

    Como será que fica o Brasil nesta Segunda-feira

Deixe uma resposta