Em dois meses, biometria facial bloqueia mais de 3 mil cartões Bem Legal em Maceió

Uso indevido destes cartões gerou um prejuízo de R$ 375 mil para empresas de ônibus

Uso indevido gerou prejuízo de R$ 375 mil para empresas de ônibus na capital

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Em dois meses, o sistema de biometria facial bloqueou mais de 3 mil cartões Bem Legal em Maceió. Segundo informações da Prefeitura, foram 1.274 estudantis, 1.352 sênior e 645 da categoria especial.

O uso indevido destes cartões gerou um prejuízo de R$ 375 mil para empresas de ônibus na capital, segundo a SMTT (Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito de Maceió). Atualmente, a tarifa em Maceió custa R$ 3,65.

“Todos esses cartões foram flagrados pelo sistema de biometria facial sendo utilizados por outras pessoas. Isso só é possível porque desde a instalação do equipamento, o sistema fotografa o usuário de posse do cartão no momento em que ele utiliza dentro do ônibus. A fotografia é comparada automaticamente com a foto cadastrada do proprietário e portador dono do benefício” – informou a SMTT, em nota.

A SMTT informou que 2.817 cartões continuam bloqueados, uma vez que os beneficiários titulares não comparecem à sede do órgão para regularizar a situação.

Segundo o Sinturb (Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Maceió) apenas 40 veículos rodam com a tecnologia. Contudo, a média é de 109 passageiros por dia que deixam de pagar e utilizam cartão de outra pessoa, conforme informado pelo sindicato.

A previsão é de que até o mês de junho, 100 ônibus estejam com a tecnologia instalada e funcionando.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta