Termina sem acordo reunião entre rodoviários de Salvador e representantes de empresas de ônibus

Publicado em: 22 de maio de 2018

Ônibus podem operar linhas sem cobrança de passagem, se houver paralisação

Trabalhadores definem às 15h desta terça-feira se entram ou não em greve por tempo indeterminado

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Terminou sem acordo a reunião feita entre os rodoviários de Salvador e representantes das empresas de ônibus da capital baiana. Segundo o sindicato, os ônibus podem rodar com catraca livre.

O encontro ocorreu na manhã desta terça-feira, 22 de maio de 2018. Com o resultado negativo da reunião de conciliação, os trabalhadores farão uma assembleia às 15h desta terça para definir se deflagram ou não greve por tempo indeterminado.

Anteriormente, o sindicato havia informado que tinha intenção de paralisar as atividades, caso não houvesse reajuste salarial.

Inicialmente, a categoria pediu reajuste de 6% nos salários. Em tentativas de negociação, o percentual chegou a cair para 5% e 3% e mesmo assim não houve acordo.

A justificativa dos empresários é que o sistema de transporte de Salvador passa por problemas financeiros, portanto, o Consórcio Integra não poderia conceder nenhum índice de reajuste. Não houve contraproposta feita pelo patronal.

PLANO DE CONTINGÊNCIA

A Prefeitura informou que, caso haja greve, colocará em circulação 600 vans, micro-ônibus e veículos de cidades da Região Metropolitana de Salvador. A medida foi chamada de plano de contingência, para evitar que a população fique sem nenhum tipo de transporte público.

ÔNIBUS PODEM OPERAR SEM COBRANÇA DE PASSAGEM

Por meio de uma liminar da Justiça, publicada nesta terça-feira, o desembargador Renato Mário Simões determina que, em horário de pico, 50% da frota cumpra os itinerários pré-determinados. Nos demais horários, o cumprimento deve ser de 30%. A multa diária, em caso de descumprimento, é de R$ 10 mil.

Veja trecho da liminar:

“Assim, com base no art. 9º da CF c/c art. 10, inciso V da Lei

7.783/89, acolho parcialmente o pedido cautelar para estabelecer que, até que os sindicatos

Requerente e Requerido entrem em composição sobre o tema, sejam cumpridas as seguintes

determinações:

  1. a) O Sindicato/Requerido mantenha contingente mínimo de

50% dos trabalhadores em atividade para a execução dos serviços, no horário das 05h

às 08h e das 17h às 20h; e 30% nos demais horários, sob pena de, assim não o fazendo,

pagar multa diária no valor de R$10.000,00 (dez mil reais);

  1. b) determinar ao Sindicato/Requerido que se abstenha de agir

de forma a impedir, dificultar ou atrasar o cumprimento dos horários das linhas;

  1. c) Fixar que cabe ao Requerente fazer a prova de eventual

descumprimento da ordem judicial, comunicando o fato ao juízo, para que eventuais

medidas sejam tomadas, garantindo-se a efetividade da medida”.

Clique aqui para ver a Liminar na íntegra.

O diretor do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, Hélio Ferreira, informou à TV Bahia que se houver decisão judicial, os ônibus vão funcionar sem cobrança de passagem.

“Se houver uma liminar da Justiça, a nossa orientação da diretoria é rodar com os ônibus sem cobrador, com catraca livre, sem cobrar passagem” – afirmou Ferreira.

Comentários

Deixe uma resposta