Gaeco investiga esquema de falsificação de exames toxicológicos para renovação de CNH

Para a investigação, foi deflagrada pela Gaeco a Operação Falso Negativo, nesta terça-feira, 22 de maio de 2018. FOTO MERAMENTE ILUSTRATIVA

Procedimento é obrigatório para motoristas de ônibus e de caminhões

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) está investigando um esquema de falsificação de exames toxicológicos para a renovação de carteiras de habilitação em Santa Catarina.

Para a investigação, foi deflagrada a Operação Falso Negativo, nesta terça-feira, 22 de maio de 2018.

Conforme informações do G1, a Justiça expediu três mandados de busca e apreensão e dois de prisão temporária. A casa de um dos suspeitos e um laboratório de análises serão investigados na operação.

Uma auxiliar de laboratório está sendo investigada por ter vendido exames toxicológicos com resultado negativo a motoristas de ônibus e de caminhões. Pela fraude, eram cobrados cerca de R$ 1,2, de acordo com informações do Gaeco.

Além disso, há suspeita de que o laboratório coletava material de pessoas que não estavam consumindo drogas e enviava para exames em São Paulo.

No exame são detectadas as presenças de maconha, cocaína, anfetaminas, metanfetaminas, ecstasy, opiáceos, codeína, femproporex, mazindol, oxicodona e anfepramona. Álcool e energéticos não são detectados.

A investigação teve início em janeiro de 2018, na 10ª Promotoria de Justiça de Criciúma.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta