Prefeitura de Porto Velho (RO) habilita site que permite simular preço de tarifa de ônibus

Imagem do site que simula a tarifa, desenvolvido pela Prefeitura de Porto Velho

Em audiência pública realizada na última quarta-feira, dia 9 de maio, para debater o plano de concessão do transporte coletivo da capital de Rondônia, prefeitura apresentou o site desenvolvido para simular o preço estimado da tarifa de transporte público, que agora entra em funcionamento

ALEXANDRE PELEGI

Fábio Sartori, secretário adjunto da  Secretaria Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes de Porto Velho (Semtran), capital de Rondônia, apresentou na última quarta-feira, dia 9 de maio de 2018, o site desenvolvido para simular o preço estimado da tarifa de transporte público na capital.

Os valores estão dispostos no link https://pvh.mx/tarifa, e são estimativas baseadas no preço cobrado atualmente pelo sistema, bem como a projeção da demanda que deve ser levada em conta no processo licitatório que será aberto em breve.

A plataforma, que permite aos usuários de ônibus simular o preço da tarifa para a cidade, entrou em funcionamento nesta sexta-feira, dia 11 de maio.

Em nota, o titular da Semtran, Carlos Henrique da Costa, explica que a proposta inicial de tarifa é de R$ 4. O valor altera de acordo com as escolhas do internauta.

Pelo site, o morador de Porto Velho pode decidir sobre questões como a tarifa social do estudante (hoje a R$ 1), a gratuidade entre 60 e 65 anos, a idade média da frota, e a inclusão de itens de conforto, como ar-condicionado.

Cada item escolhido altera o valor final da tarifa estimada. A idade média dos ônibus, por exemplo, impacta no prazo de reembolso do valor investido nos veículos pelas empresas. Para uma frota com 3 anos, a tarifa tem acréscimo de R$ 0,15. Já com 5 anos de limite, a tarifa inicial estimada de R$ 4,00 não sofre alteração. Para uma frota mais velha, com 7 anos em média, a tarifa sofre redução de R$ 0,15.

O objetivo do site, segundo a nota da Prefeitura, é “maior transparência e participação popular no processo de licitação do transporte público e em cumprimento à Lei da Política Nacional de Mobilidade Urbana n° 12.587/2012, art. 8°, inciso 2, os municípios deverão divulgar, de forma sistemática e periódica, os impactos dos benefícios concedidos no valor das tarifas dos serviços de transporte público coletivo“.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta