Consórcio Eco Parques oferece maior lance na licitação de concessão de obra do Parque Capivari

Concessão do Parque Capivari é válida por 30 anos

Quatro empresas apresentaram propostas e valor mais alto foi de R$ 80,1 milhões da outorga variável

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

O Consórcio Eco Parques ofereceu o maior lance na licitação de concessão de obra do Parque Capivari, em Campos do Jordão, interior de São Paulo. Quatro empresas apresentaram propostas e o valor mais alto foi de R$ 80,1 milhões da outorga variável.

A concessão do Parque Capivari é válida por 30 anos e o valor ofertado corresponde a 491% de ágio, segundo a STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos). De acordo com a pasta, após a publicação da ata da licitação no diário oficial, as empresas terão um prazo de cinco dias para apresentar possíveis recursos.

“Com uma área total de 40 mil m², o Parque Capivari, atualmente administrado pela Estrada de Ferro Campos do Jordão (EFCJ), é um dos principais polos turísticos da cidade. A ganhadora da licitação será responsável por obras de reforma e modernização, manutenção e administração do espaço, cujos investimentos somente em infraestrutura somam R$ 35,3 milhões. O retorno financeiro virá por meio da operação da praça e seus equipamentos turísticos” – informou a STM, em nota.

Além da outorga fixa, R$ 1,5 milhão e investimentos previstos, a vencedora da licitação seria a que apresentasse o maior valor presente líquido da outorga variável durante o prazo da concessão. Conforme o edital, o valor mínimo era de R$ 16,3 milhões.

“Entre as melhorias previstas no local estão um moderno teleférico, um equipamento chamado trenó sobre trilhos, uma concha acústica, novas áreas comerciais, sanitários e estacionamentos. O projeto inicial inclui ainda requalificação do pedalinho, recomposição de áreas verdes, preservação dos equipamentos e reurbanização do Morro do Elefante, cedido por meio de parceria do Governo do Estado de São Paulo com a Prefeitura de Campos do Jordão”.

HISTÓRICO

De acordo com a STM, o projeto teve início por meio de uma Manifestação de Interesse do Privado em maio de 2016, pela proponente Tedesco Turismo através da Plataforma Digital de Parcerias do Governo do Estado de São Paulo. De março a julho de 2017, foi realizado chamamento público, onde foram recebidos estudos de modelagem de três empresas.

“Em dezembro de 2017, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) realizou audiência pública, em Campos do Jordão, a fim de apresentar o projeto e colher sugestões da sociedade. Além disso, a consulta pública, que ocorreu entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, recebeu 121 contribuições de duas empresas para aprimorar o projeto. O edital foi publicado em março de 2018” – relatou a STM, em nota.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta