Crivella recua e decide suspender cobrança de taxa para uso de cartão no app Taxi.Rio

Foto: ilustração

Percentual de 6,75% revoltou taxistas, que acusaram prefeito do Rio de “puxar o tapete” da categoria

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito Marcelo Crivella recuou e decidiu não mais exigir a cobrança de uma taxa de 6,75% dos taxistas filiados ao aplicativo Taxi.Rio. A taxa incidiria sobre o valor das corridas pagas com cartões de crédito.

O recuo de Crivella foi decidido no final da noite desta quarta-feira, dia 2 de maio de 2018, após uma série de críticas dos taxistas.

Na manhã de ontem a prefeitura confirmou que, após vencer uma licitação, uma empresa passaria a cobrar a taxa em 15 dias. A empresa gerenciaria o sistema de pagamento por cartão de crédito das corridas contratadas pelo aplicativo.

Após a confirmação da cobrança da taxa, os taxistas passaram a exigir o cancelamento da medida, lembrando que a promessa da prefeitura sempre foi de que não haveria qualquer tipo de taxa nas corridas realizadas por meio da plataforma do Taxi.Rio.

Com o recuo do prefeito, o aplicativo continua funcionando com cobrança em dinheiro ou por meio de cartão. Neste caso, o taxista precisa ter maquininha própria no veículo.

O Taxi-Rio, sistema criado pela prefeitura do Rio de Janeiro em outubro do ano passado, entrou em funcionamento oficialmente no dia 1º de novembro de 2017. Logo de início já tinha dez mil taxistas cadastrados na plataforma.

André Oliveira, presidente da Associação de Assistência de Motoristas de Táxis do Brasil (AAMOTAB), chegou a dizer ontem durante o dia, que o prefeito Marcelo Crivella havia “puxado o tapete” da categoria. Segundo o líder da categoria, a cobrança da taxa no pagamento por cartão prejudicaria os passageiros, já que reduziria bastante os descontos que poderiam ser oferecidos.

O Taxi.Rio não exige pagamento de taxa de adesão ao motorista que quiser se cadastrar na plataforma, e permite que o próprio taxista defina o desconto que será dado aos usuários.

O objetivo da plataforma, segundo a prefeitura, é permitir comunicação instantânea, integrando taxistas, usuários e a administração municipal.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Nilson Ketes disse:

    Melhor prefeito do Brasil e ainda reclamam vai entender…

Deixe uma resposta para Nilson Ketes Cancelar resposta