CPI dos Ônibus do Rio de Janeiro quer ouvir ex-presidente da Fetranspor

O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, assinam o contrato com os quatro consórcios vencedores da licitação para operar os ônibus municipais nos próximos 20 anos.Foto Beth Santos

Oitivas estão previstas para 4 de maio

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

A CPI dos Ônibus do Rio de Janeiro quer ouvir o ex-presidente da Fetranspor (Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio) Lélis Teixeira, e o ex-subsecretário de Estado de Transportes, Luiz Carlos Velloso.

Segundo informações do Diário Carioca, a Comissão Parlamentar de Inquérito da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) fará o convite a ambos, para que possam prestar esclarecimentos.

As oitivas estão previstas para 4 de maio e a decisão foi tomada na quarta-feira, 18 de abril de 2018. Em reunião, estavam presentes o presidente do Detro (Departamento de Transportes Rodoviários), Olívio Soares, e a secretária executiva da Agetransp (Agência Estadual de Transportes Públicos do Rio), Daniela Rocha, ainda segundo o Diário Carioca.

“Tanto a Agetransp como o Detro trouxeram informações que deram a possibilidade de os membros da comissão identificarem os erros que estão sendo tratados na gestão da política de transportes do Estado do Rio. Por exemplo, o edital que vai definir as linhas de ônibus que devem operar no estado está sendo feito sem um diagnóstico prévio” – disse o presidente da CPI, deputado Eliomar Coelho.

A CPI dos Ônibus do Rio de Janeiro aprovou em abril o relatório final produzido pelo vereador Rogério Rocal (PTB). Criada em 2017, na esteira da operação Ponto Final, que apura o pagamento de propina a agentes públicos por parte de empresários de ônibus, o documento feito pelo relator passou ao largo dos principais problemas do sistema de concessão de ônibus da cidade do Rio de Janeiro.

Relembre: Câmara Vereadores do Rio aprova Relatório final da CPI dos Ônibus

Leia também: Texto final de CPI dos Ônibus do Rio ignora principais problemas da concessão

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta