Sindicato das Empresas afirma que não tem dinheiro para repor ônibus incendiados em Belo Horizonte

Publicado em: 18 de abril de 2018

Crime ocorreu no bairro Piratininga, na Região de Venda Nova, em 16 de abril

Desde 12 de abril, sete coletivos foram queimados na capital e na Região Metropolitana

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

O Setra-BH (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte) afirmou que não tem dinheiro para repor os ônibus que foram incendiados na capital e na Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Desde 12 de abril de 2018, foram sete coletivos incendiados.

Segundo o sindicato, um ônibus convencional queimado representa um prejuízo de R$ 400 mil. O sindicato informou que não há seguro para esse tipo de crime. O último registro de incêndio a ônibus foi nesta segunda-feira, 16 de abril de 2018. O ônibus incendiado operava a linha 617 (Estação Pampulha/Piratininga via Rio Branco) no bairro Piratininga, na Região de Venda Nova.

Relembre: Belo Horizonte tem mais um ônibus queimado na Região Metropolitana

O Setra-BH alega ainda que os custos de operação aumentaram e o valor das passagens não foi reajustado em dezembro de 2017, o que também compromete a situação financeira da empresa.

O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil afirmou, por meio de uma rede social, que não teria aumento das tarifas até que a fosse aberta a “caixa-preta” da BHTrans (Empresa de Transportes e Trânsito de Belo Horizonte).

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. SDTConsultoria em Transportes disse:

    A situação está s tornando INSUSTENTÁVEL . Algumas capitais e grandes cidades serão penalizadas e a população será a maior prejudicada. O que nossos governos estão fazendo para coibir nestas ações ?

Deixe uma resposta