Ônibus retirados de circulação da Zona Norte de Teresina voltam a circular

Strans afirma que não houve prejuízo aos usuários do sistema

Veículos tinham sido retirados por empresa maranhense na noite de sexta-feira, 13 de abril

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Os 15 ônibus retirados de circulação da Zona Norte de Teresina, no Piauí, voltaram a circular na manhã desta segunda-feira, 16 de abril de 2018. Segundo informações da Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito), não houve prejuízo aos usuários do sistema.

Na noite de sexta-feira, 13 de abril, a empresa maranhense Transpremium retirou 15 ônibus de circulação da Zona Norte. Em clima de confusão, seguranças orientaram motoristas e cobradores a descerem do veículo já na garagem da empresa Emvipi, que opera os coletivos no bairro Santa Maria da Codipi.

Os veículos estavam sendo operados pelo Consórcio Poty, que é responsável pelas linhas do transporte coletivo na zona Norte de Teresina. Na ocasião, a justificativa foi que a devolução dos ônibus foi feita porque os veículos com ar-condicionado não foram pagos à empresa Transpremium.

Relembre: Empresa maranhense retira 15 ônibus de circulação da Zona Norte de Teresina

A Strans informou que os coletivos retomaram a operação às 5h desta segunda-feira. A superintendência teria chamado os representantes responsáveis pela operação para um diálogo.

“Ao tomar conhecimento da retirada dos ônibus que atendem a população da Zona Norte da capital, intimou os representantes do referido consórcio para que os mesmos tomassem providências para que os usuários do transporte público não ficassem prejudicados” – informou Carlos Daniel, superintendente da Strans em nota.

Confira a nota da Strans na íntegra:

08009a9c3bb55faa.jpg

1 comentário em Ônibus retirados de circulação da Zona Norte de Teresina voltam a circular

  1. Estão brincando na borda do vulcão, Mesmo quando o serviço é concedido (ou permitido) à empresas privadas, os ônibus públicos são sempre vistas como imagem do Governo: O que explica ( em grande parte) a frequência de vandalismos contra estes veículos. Na ocorrência de incêndios, um segundo fator que contribui a tal ocorrência é serem os veículos construídos com muito material comburente, tal como no passado também eram os trens de subúrbio e que, muito frequentemente, eram incendiados quando havia tumultos como protesto contra o Govêrno.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: