São Paulo prevê 20 mil bicicletas para compartilhamento

Sistema de compartilhamento não prevê o uso de estações

Serviço oferecido por quatro empresas está previsto para atender todas as regiões da Capital

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

A Prefeitura de São Paulo prevê que a população terá 20 mil bicicletas para compartilhamento, em todas as regiões da cidade. A Secretaria de Mobilidade e Transportes já credenciou quatro empresas para prestar o serviço na capital e atendimento deve começar já no primeiro semestre.

O grande diferencial do projeto municipal é que o sistema de compartilhamento não prevê o uso de estações. As pessoas poderão pegar e deixar as bicicletas em locais mais próximos, indicados pelos aplicativos das empresas.

O município credenciou a Yellow, Serttel, Mobike e a Trunfo para oferecer o serviço na cidade. A previsão da Prefeitura é de que, juntas, as empresas forneçam cerca de 80 mil bicicletas para operar no novo sistema.

“As credenciadas Mobike, Serttel, Yellow vão oferecer um novo sistema de compartilhamento, sem estações (conhecido como dockless), no qual o usuário pode estacionar a bicicleta em locais adequados e indicados pelo aplicativo das empresas por meio de georeferência. Será permitido fazer o cadastro em todas as operadoras. A Trunfo (Bradesco Seguros), que já opera 17 estações de compartilhamento que dão suporte às atuais ciclofaixas de lazer, também se adaptou às novas regras desse serviço” — informou a Prefeitura de São Paulo, em nota.

Segundo informações da Secretaria de Mobilidade, as empresas serão responsáveis por apontar no aplicativo locais que não dificultem a passagem de pedestres. A Prefeitura aplicará multa a quem descumprir a norma.

FUNCIONAMENTO

A princípio, para utilizar as bicicletas, será preciso pagar por meio do aplicativo de cada empresa. Futuramente, será discutida a possibilidade de efetuar o pagamento por meio do Bilhete Único.

Uma das normas estabelecidas pela Prefeitura é que o preço do aluguel da bicicleta não pode ser maior que R$ 8 para cada viagem, respeitando a referência para o valor de duas passagens de ônibus.

Quem tem interesse em alugar uma bicicleta poderá localizar as que estão disponíveis por meio do aplicativo de cada empresa. Todas vêm com um código e um cadeado, que abre automaticamente. Após a abertura, um cronômetro é iniciado para calcular o tempo da viagem, que será previamente paga.

As bikes terão um sistema de geolocalização integrado, para que todas sejam monitoradas por meio dos aplicativos utilizados pelas empresas. Cada credenciada poderá oferecer vantagens exclusivas para atrair usuários.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: