Governo da Bahia adia para 4 de abril recebimento de propostas para o VLT do Subúrbio

O modal, que será integrado ao metrô e ao BRT, terá 21 estações ao longo de um traçado de 18,5 quilômetros – (Secom Gov-BA | Divulgação)

Resultado da licitação estava previsto para o dia 19 de março. Governo alega que adiamento deveu-se a trâmites do processo de licitação

ALEXANDRE PELEGI

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) do governo do estado da Bahia adiou as datas de recebimento das propostas para a implantação e Operação do Veículo Leve sobre Trilhos – VLT da área do subúrbio. O modal substituirá os trens do Subúrbio Ferroviário da capital.

No modelo de Parceria Público Privada (PPP), o resultado da licitação estava previsto inicialmente para a próxima segunda-feira, dia 19 de março.

A Casa Civil do governo da Bahia alega que o adiamento deveu-se a trâmites do processo de licitação.

Esta não é a primeira vez que o edital do VLT é adiado, após o lançamento do projeto em 2015. Ele foi suspenso duas vezes em 2017, em junho e em agosto, por decisão judicial.

A Sedur informou que a abertura dos envelopes das empresas interessadas, assim como a divulgação do vencedor do processo de licitação, ocorrerá no dia 4 de abril, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo, a partir das 15h.

A concorrência pública avaliará os valores dos lances e a qualificação dos interessados na implantação e operação do VLT do Subúrbio.

Uma vez definida a empresa vencedora do certame, o contrato terá prazo de 90 dias para ser assinado. A previsão para início e conclusão das obras é de 24 meses.

VLT SUBSTITUIRÁ TRENS DO SUBÚRBIO:

O VLT de Salvador substituirá os trens do Subúrbio Ferroviário de Salvador. O modal terá 18,5 km de extensão e 21 paradas, ligando a região do Comércio a Paripe. A estimativa é que o percurso no trecho seja realizado em até 40 minutos, beneficiando diretamente mais de 100 mil pessoas/dia.

O projeto do Veículo Leve sobre Trilhos já tem recursos assegurados. O governo realizou um chamamento público, onde foi escolhida a empresa financiadora do sistema, o Fundo de Investimento Inglês Indico PLC. O Fundo firmou compromisso de financiar R$ 1,5 bilhão.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: