Mato Grosso publica edital de transporte rodoviário intermunicipal por ônibus

Ônibus da Novo Horizonte que operam em lotes já licitados

Novo edital segue determinações do TAC – Termo de Ajustamento de Conduta firmado junto ao Ministério Público

ADAMO BAZANI

O Governo do Estado do Mato Grosso publicou nesta quinta-feira, 08 de fevereiro de 2018, o edital de licitação das linhas de ônibus rodoviários intermunicipais.

O novo documento segue agora as exigências de um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta, firmado com o Ministério Público do Estado.

A licitação envolve 13 lotes operacionais. O sistema de linhas foi dividido em oito mercados (regiões), totalizando 16 lotes. Cada região tem dois lotes, um com tarifa básica, com linhas parando em várias cidades, e outro com tarifa maior e serviço direto entre um polo e outro.

Em janeiro, como divulgou o Diário do Transporte, o mercado 2 (região de Rondonópolis) e o mercado 7 (Alta Floresta), com tarifa diferenciada, foram concedidos à empresa da Bahia, Novo Horizonte, que apresentou uma frota de veículos novos. A empresa pagará uma outorga de R$ 30 milhões e os contratos são de 20 anos:

https://diariodotransporte.com.br/2018/01/16/novo-horizonte-ganha-concessao-intermunicipal-no-mato-grosso/

Os mercados cujos editais foram publicados hoje no Diário Oficial, são Cuiabá, Rondonópolis e Alta Floresta, na categoria básica. Já os mercados de Barra dos Garças, São Felix do Araguaia, Cáceres, Tangará da Serra e Sinop, serão licitados com as duas categorias.

Os contratos serão de 20 anos e o principal critério de classificação é a menor tarifa proposta.

Com estas novas licitações, o Governo do Estado pretende arrecadar R$ 170 milhões em outorgas. As empresas que vencerem as concessões devem pagar uma entrada no ato da assinatura do contrato e o restante será dividido em até quatro parcelas.

A entrega das propostas deve ocorrer no dia 16 de março, em sessão pública.

Segundo o Governo do Estado, os antigos contratos de concessões estão vencidos há quase 20 anos e as empresas não pagam a taxa de regulação à Ager – Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos e Delegados.

Em nota, a assessoria do Governo faz um retrospecto sobre o processo de concessão das linhas, que se arrasta desde os anos 1990:

 A discussão em torno da realização das linhas intermunicipais se arrasta desde a década de 1990. O Termo de Ajustamento de Conduta TAC precisou ser celebrado em decorrência das consecutivas prorrogações realizadas nas gestões passadas, sem prévia licitação, das concessões de direito das empresas, além do aumento significativo da população e de uma série de decisões judiciais envolvendo o assunto.

Em 2012, foi iniciada a concorrência pública. Dos 16 lotes definidos no Plano de Outorga, apenas nove foram homologados e adjudicados. Os demais, segundo a comissão de licitação, tiveram as empresas inabilitadas ou não tiveram vencedores. Houve ainda uma série de interposição de recursos e liminares que impediram o prosseguimento da licitação.

No entanto, desde o primeiro ano da atual gestão, o governador Pedro Taques tem tomado uma série de medidas para assegurar a licitação. Em 7 de agosto de 2015, Taques editou o Decreto 211, anulando o antigo decreto 2.499/14, elaborado pelo ex-governador Silval Barbosa, que autorizava a operacionalização do sistema de transporte público intermunicipal de passageiros até 2031.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

1 comentário em Mato Grosso publica edital de transporte rodoviário intermunicipal por ônibus

  1. Amigos, boa noite.

    Reflitamos, a declaração do governo do Mato Grosso.

    “Segundo o Governo do Estado, os antigos contratos de concessões estão vencidos há quase 20 anos e as empresas não pagam a taxa de regulação à Ager – Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos e Delegados.”

    E a Lei da Improbidade administrativa ?

    Isso não se enquadra em nenhum dos tipos de improbidade administrativa descrita na Lei da Improbidade ???

    E a Lei da ficha limpa.

    Será que tem alguém com a ficha limpa ?

    Pra que serve esse montão de Leis.

    20 anos sem licitação.

    É o Parque de Diversão Barsil, brincando de administrar.

    Quer mais impunidade do que isto ?????

    Cadê os MP’s ??????????

    MUDA BARSIL.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: