Secretário de Transportes do Rio dá prazo de 30 dias para resolver problemas mais graves do transporte público

Publicado em: 5 de fevereiro de 2018

Rubens Teixeira reitera que contratou auditoria para determinar valor justo para a tarifa, e promete combater vans irregulares que se superpõem às linhas de ônibus

ALEXANDRE PELEGI

O recém empossado secretário de transportes da cidade do Rio de Janeiro, Rubens Teixeira, afirmou na última sexta-feira, dia 2 de fevereiro, que vai convocar a empresa de auditoria PricewaterhouseCoopers para concluir com urgência os estudos sobre os custos do sistema para determinar um novo valor de tarifa. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/02/novo-secretario-de-transportes-do-rio-anuncia-que-vai-chamar-empresa-para-concluir-estudos-sobre-tarifas-de-onibus/

Nesta segunda-feira (5), Rubens Teixeira voltou a reafirmar sua intenção em entrevista ao Bom Dia Rio, programa de TV da Rede Globo, acrescentando (sem citar nomes) que está fechando contrato “com uma multinacional” no dia de hoje para proceder à auditoria nos contratos de concessões das empresas de ônibus.

O secretário afirmou ainda que em 30 dias pretende restabelecer os serviços das linhas de ônibus da cidade.

O novo secretário, que substituiu Fernando Mac Dowell no cargo, terá de honrar a promessa do prefeito Marcelo Crivella, feita em dezembro, de que uma auditoria irá definir o valor correto da tarifa dos ônibus municipais.

Ao jornal televisivo, o secretário afirmou ter um prazo de 30 dias “para resolver ou encaminhar os problemas mais graves dos ônibus”.

Ele citou dentre os problemas mais graves “a ausência de ônibus, de linhas que foram retiradas das ruas. Espero que em breve eles estejam circulando”, disse.

Outro problema citado por Rubens Teixeira foi a solução do problema de superposição de linhas de vans e ônibus. “Linhas de vans vão ser canceladas. Problemas como ausência de linhas de ônibus e ônibus em estado precário devem ser resolvidos ou encaminhados para solução o mais brevemente possível”, disse Teixeira.

Segundo o novo secretário de Transportes de Marcelo Crivella, antes de tudo será preciso resolver o embaraço que há no sistema de ônibus. A começar do valor da tarifa, tarefa que já solicitou à empresa que fará a auditoria no sistema, que deverá realizar um estudo específico para tal finalidade.

Citando o prefeito Crivella, Rubens Teixeira afirmou que o prefeito do Rio “tem uma visão clara sobre isso. O preço tem de ser o melhor para a sociedade, mas também com justiça e equilíbrio”.

Dizendo que espera contar com o apoio do Ministério Público, o secretário reafirmou sua declaração da última sexta-feira (2): com a definição do valor, o próximo passo seria chamar as empresas, por meio do Rio Ônibus, o sindicato que representa as viações, para comparar os dados que possuem, obtidos pelos estudos da EY – Ernst Young, auditoria que foi contratada pelas empresas de transportes.

Com as negociações, o secretário quer que as empresas que operam os serviços de ônibus no Rio retirem as ações judiciais contra o município por causa da tarifa.

VANS IRREGULARES E CLIMATIZAÇÃO DA FROTA DE ÔNIBUS:

Sobre o problema de fiscalização das linhas de ônibus e de vans, o secretário afirmou que vai buscar um acordo com a Secretaria de Ordem Pública – “como o sistema está em desordem, não há fiscalização”.

Na entrevista ao canal de TV, o secretário afirmou que se estabeleceu “o caos no sistema”, e disse: “há linhas de vans que precisam ser canceladas, temos de resolver o caos para solucionar o problema. Estou no segundo dia de trabalho. Vou mandar cancelar a superposição de linhas de ônibus e vans e determinar o cancelamento de licenças dessas vans nos próximos dois ou três dias”, disse Teixeira.

Outro ponto que a prefeitura não abre mão, afirmou o secretário, é a climatização de toda a frota, uma obrigação contratual. Ele disse esperar que a Rio Ônibus cumpra o acordado, para evitar uma decisão judicial.

Rubens Teixeira concluiu afirmando que a prefeitura tem o poder de cassar a concessão das empresas e convocar uma nova licitação, mas esta não é a melhor saída, pois levaria no mínimo 90 dias. Ou seja, o secretário dos transportes se coloca como alguém que veio para tentar corrigir o que seu antecessor não procurou durante o tempo em que esteve à frente do cargo: produzir uma solução negociada que possibilite ao sistema de transporte público da cidade sair da situação de caos, como ele mesmo classifica.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. WILLIAM HOWARD HOSSELL disse:

    O Rio é a “casa da mãe Joana” em todos os sentidos, mas no caso específico dos transportes, é “uma zona” no sentido amplo da expressão! O prefeito fingiu durante o ano de 2017 que estava tudo correndo bem na SMTR dando plenos poderes ao secretário vice que por sua vez demonstrava para quem quisesse ver que ele estava em outro planeta e aí, “da noite pro dia” mais de oito mil vans ocuparam os itinerários dos ônibus sem que houvesse qualquer tipo de fiscalização por parte da secretaria! Aí tem coi$a não é?
    T R E V A S

Deixe uma resposta