Volare amplia liderança no mercado brasileiro de miniônibus. Vendas cresceram quase 20% no segmento de varejo

Publicado em: 31 de janeiro de 2018

Foto: Julio Soares

Desempenho em 2017 reforçou participação acima de 50% de market-share

ALEXANDRE PELEGI

A Volare fechou 2017 com um grande desempenho, após fechar o ano com a venda de 1.215 veículos.

O resultado representa crescimento de 19,94% em comparação a 2016 (quando foram comercializadas 1.013 unidades), e possibilitou à empresa ampliar sua liderança no mercado brasileiro de micro-ônibus, elevando sua participação para 52,7%.

Acima das expectativas de seus executivos, o desempenho da Volare contrasta com o crescimento de 14% registrado pelo mercado brasileiro, com 2.304 unidades, em 2017, contra 2.021, no ano anterior.

João Paulo Ledur, diretor do Negócio Volare, afirma que o aumento da demanda foi consequência da maior aplicação dos veículos nos segmentos de fretamento e turismo, que têm optado por modelos com dimensões ideais para o deslocamento de pequenos grupos mantendo as suas características de conforto e praticidade.

Ledur esclarece ainda que o crescimento dos negócios não inclui a participação da fabricante no programa do Governo Federal Caminho da Escola, para fornecimento de miniônibus para o transporte escolar.

“Fomos responsáveis por 253 unidades neste segmento de um total do mercado brasileiro de 681, o que representa a participação de 37,2%. Acredito que em 2018 haverá um significativo crescimento nesse setor”, ressalta o diretor da Volare.

EXPORTAÇÕES

O programa de exportações ajudou nos resultados da Volare, com destaque para o Chile. O país andino foi responsável por mais de 65% das vendas.

Em todo o mercado externo a Volare comercializou 370 unidades, contra 430 veículos no mesmo período de 2016, uma retração de 14%, mas acima da média histórica em torno de 350 unidades.

Ledur analisa os dados:

Também nas exportações o volume de vendas foi muito bom e alcançamos o nosso terceiro melhor ano em toda a história da marca, além de abrir novos mercados, como a Jordânia, no Sudoeste Asiático, e Costa do Marfim e Burkina Faso, na África. Exportamos menos do que no ano passado, mas crescemos 55% em relação a 2015, e 108%, em relação a 2014”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Gláucio oliveira disse:

    Que ótima noticia. Mostra a capacidade de ver mercados e se adaptar rápido. Além da grande variedade de configurações. E cada novo modelo fica + lindo. A transcap com garagem perto de casa comprou 4 para suas linhas na região de cp. Lpo e são lindos. Já andei em 1 deles. Parabéns marcopolo

  2. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    PREVISIVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

    Eu já disse, o futuro do buzão são os micros em linhas VAPT VUPT.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta