‘Passe para o Emprego’, promessa do atual prefeito de Campinas, deve ficar para a nova licitação dos ônibus

Prefeito Jonas Donizette propôs passe-livre para pessoas desempregadas em Campinas em setembro de 2016; benefício seria usado na procura por emprego. Emdec alega que precisa haver viabilidade financeira para implantação

ALEXANDRE PELEGI

Em setembro de 2016, candidato à reeleição, o prefeito Jonas Donizette propôs franquear o ônibus municipal para pessoas desempregadas em Campinas. Após fazer um balanço positivo de sua primeira gestão na área de mobilidade e transporte, com a introdução de alguns benefícios no sistema de transporte municipal, como o Passe Universitário, a ampliação do tempo de integração (de 1h30 para 2h), e a criação do Passe Lazer (meia passagem aos domingos), o prefeito prometeu criar o “Passe para o Emprego”, para que a pessoa desempregada pudesse procurar uma recolocação no mercado de trabalho “sem precisar pagar a passagem”.

Após terminar o ano de 2017, e o “Passe para o Emprego” não ter sido criado ainda, a Emdec – Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas, que gerencia o sistema de transporte municipal, afirma que a ideia agora é incluir o tema nos debates sobre a nova licitação do transporte, que ocorre neste ano.

A Empresa municipal informa ainda que há a intenção de instituir o benefício, o que depende de viabilidade financeira.

O tema da concessão do passe-livre para o desempregado de Campinas ganha importância após a prefeitura ter reajustado a tarifa do ônibus municipal de R$ 4,50 para R$ 4,70 (alta de 4,4%), que passa a valer neste sábado, dia 6. O novo valor é para quem paga com dinheiro, com a impressão do código QR Code ou com Vale-Transporte.

Já para quem usa o Bilhete Único, a tarifa vai de R$ 4,20 para R$ 4,30. A prefeitura alega que em torno de 90% dos passageiros usam as diferentes modalidades do Bilhete Único.

Quando informou o reajuste, o Executivo municipal garantiu através de nota que continuarão os subsídios ao sistema de ônibus e que o intuito é de manter o valor em R$ 69 milhões, já contando com o Programa de Acessibilidade Inclusiva – PAI.

Tabela das tarifas de transporte coletivo que passam a valer neste sábado (6)

Bilhete Único Comum: R$ 4,30

Bilhete Único Escolar: R$ 1,72

Bilhete Único Universitário: R$ 2,15

Bilhete Único Vale-Transporte: R$ 4,70

Dinheiro ou tíquete QR Code: R$ 4,70

Integração: R$ 0,40 (embarque no terceiro ônibus)

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: