Um em cada seis trens da SuperVia sofreu atraso no 1º semestre do ano

Publicado em: 18 de novembro de 2017
Supervia

Das 136.830 viagens de oito ramais operados pela concessionária, 23.994 atrasaram

ALEXANDRE PELEGI

Levantamento realizado pela própria SuperVia aponta que no primeiro semestre deste ano um em cada seis trens da concessionária sofreu atraso. A SuperVia é o consórcio responsável pela operação comercial e manutenção da malha ferroviária urbana de passageiros da região metropolitana do Rio de Janeiro desde 1998.

Das 136.830 viagens de oito ramais operados pela concessionária, 23.994 atrasaram. Os motivos dos atrasos:

– 14.042 atrasos por furto de cabos, vandalismo e manutenções programadas;

– 9.952 atrasos não justificados (falha operacional da concessionária), o que representa um total de cerca de 40% (17 por dia, em média).

Os dados foram publicados pelo jornal O Globo, e obtidos via Lei de Acesso à informação junto à Agência Reguladora de Transportes (Agetransp). Os dados da Agetransp são fornecidos pela Supervia.

O ramal Santa Cruz é o que sofre mais com os atrasos. Foram 7.676 no primeiro semestre, sendo 3.184 deles não justificados.

Os outros dois ramais mais afetados pelos atrasos são Japeri (4.866 atrasos, sendo 2.611 não justificados) e Belford Roxo (4.472, dos quais 307 não justificados).

De acordo com a Agetransp uma viagem é considerada atrasada se ultrapassar 5% do tempo de duração previsto. Por contrato, a concessionária tem que atingir um índice de pontualidade de 83%.

Em nota ao jornal, a SuperVia informou que tem regularidade e pontualidade maiores do que os previstos no contrato de concessão e que para revitalizar o sistema ferroviário está investindo R$ 2,1 bilhões.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transporte

 

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Nenhum negócio na face da Terra funciona se não der o devido lucro.

    No caso dos trilhos que são negócios de altos custos no todo e um tanto quanto especializado, precisa dar lucro sem erro.

    Caso contrário, não adianta lamentar nem fazer levantamentos, mostrando o óbvio.

    Atrasa pois o negócio não tem equilíbrio.

    É igual ao buzão de Sampa.

    Por que roda articuladinho trucadinho batendo lata a R$ 3,80 ??

    Simples.

    Porque o contribuinte paga o complemento, caso contrário não teria nem Apache S 21 rodando.

    PREVISIVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

    Mas sensato e inteligente foi a JSL, que abortou a operação.

    Lucrou, rodou.

    Não lucrou, abortou.

    Att,

    Paulo Gil

  2. IVAN disse:

    Não me surpreendo. Usando trens dos anos 50.

Deixe uma resposta