ARTESP reforça fiscalização na rota do Santuário de Aparecida e apreende 32 veículos de transporte clandestino de passageiros

Operação especial foi feita em conjunto com a ANTT

ALEXANDRE PELEGI

Às vésperas do feriado de Nossa Senhora de Aparecida, dia 12 de outubro, data em que se celebra os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora no Rio Paraíba do Sul, milhares de romeiros tomaram a Via Dutra.

Muitos optaram pela romaria, em grupos organizados ou até mesmo sozinhos, num hábito que aumenta a cada ano.

Mas muita gente freta ônibus ou vans, e muitas vezes de forma irregular. São os famigerados “clandestinos”, que colocam muitas pessoas em risco ao trafegar pelas estradas em condições mínimas de segurança.

Operacao Aparecida 2 DPL.jpgA Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), nessas ocasiões, reforça a fiscalização, buscando coibir o transporte irregular de passageiros. Desde o dia 6 de outubro, quando teve início as caravanas e romarias de fiéis ao Santuário, a Agência fiscalizou 257 veículos.

Até a tarde desta quarta-feira, dia 11 de outubro, 32 desses veículos foram aprendidos por realizarem transporte intermunicipal de passageiros sem licença.

OS RICOS DO TRANSPORTE CLANDESTINO:

A Artesp lembra que o transporte clandestino de passageiros representa inúmeros riscos, isso porque os veículos não passam pelas vistorias de segurança, nem há garantia de que o motorista tenha a habilitação necessária para esse tipo de transporte.

Em caso de acidente, esse tipo de transporte não possui seguro para os passageiros.

Entre janeiro e setembro deste ano, a fiscalização da Artesp apreendeu 1.146 ônibus clandestinos em todo o Estado.

A Operação Aparecida ocorre em conjunto com a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e com o apoio da Polícia Militar Rodoviária do Estado de São Paulo.

FERRAMENTA DE CONSULTA:

Você pode consultar no site da Artesp (www.artesp.sp.gov.br) se o ônibus é registrado e está com as vistorias em dia. Isso é importante antes de contratar um fretamento para viagens no Estado de São Paulo.

Para realizar a consulta basta ter o CNPJ da empresa que pretende contratar ou a placa do ônibus, caso se pretensa fazer uma pesquisa ainda mais completa.

Quem já estiver em viagem nesse feriado pode fazer a consulta antes de retornar.

No site há a consulta “origem/destino”, onde se pode verificar quais empresas atendem o roteiro desejado para esse feriado prolongado.

Em caso de dúvidas, sugestões ou reclamações sobre o serviço prestado pelas empresas, os passageiros podem entrar em contato com a Ouvidoria da Artesp pelo telefone 0800.727.83.77 ou pelo e-mail ouvidoria@artesp.sp.gov.br.

ORIENTAÇÕES DA ARTESP PARA UMA VIAGEM DE ÔNIBUS COM MAIS SEGURANÇA.

Somente viajar com empresas autorizadas.

Usar o cinto de segurança.

Manter-se sentado e com cinto de segurança afivelado sempre que o veículo estiver em movimento.

Não carregar perto de si objetos pontiagudos e/ou cortantes.

Levar dentro do veículo somente objetos pequenos e leves.

Acomodar a bagagem de mão no porta-embrulhos.

Falar com o motorista somente o necessário.

Seguir as recomendações de segurança da empresa transportadora.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

4 comentários em ARTESP reforça fiscalização na rota do Santuário de Aparecida e apreende 32 veículos de transporte clandestino de passageiros

  1. Amigos, bom dia.

    É a síndrome da fiscalizadora.

    Só isso nossos órgãos sabem fazer.

    Esse papo de segurança é fiado.

    Haja visto as notícias no Blog de porta e roda caindo.

    Eu queria ir de Piracicaba a São José do Rio Preto ontem e fui impedido porque não tinha vaga.

    O que a Artesp tem de fazer ela não faz que é colocar buzão pra rodar e NÃO impedir buzão de rodar.

    MUDA BARSIL

    Att,

    Paulo Gil

    • Bom dia, só ratificando sobre comentarios do jornalista Alexandre Pelegi diz ter conhecimentos sobre transportes de passageiros que a ARTESP ( Agência Reguladora de Transporte do Estado de São Paulo) e não Agência de transporte do Estado de São Paulo tbm as vezes por não ter autorização da ARTESP não quer dizer que não estejam sem as Visitas ou Seguro de Responsabilidades pelo simples fatos das burocracias da ARTESP, o porquê de não dar condições as médias e pequenas empresas para que tbm as mesmas possam trabalhar como autorizada com essa burocrácia só mesmo as gdes empresas terão condições de serem autorizadas vamos deichar de monopolizar e dar condições tbm as pequenas Empresas

  2. Me desculpem quis dizer VISTORIAS e não visitas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: