Mortes por atropelamentos continuam em alta na cidade de São Paulo

Número contrasta com as mortes verificadas em todos os tipos de acidentes, que tiveram pequena queda no número de óbitos entre janeiro e abril deste ano. Dados são do Infosiga

ALEXANDRE PELEGI

Apesar do maio amarelo, mês dedicado em vários países a ações pelo aumento da segurança no trânsito, a prefeitura de São Paulo não tem muito o que comemorar. O número de mortes por atropelamento na capital cresceu pelo terceiro mês seguido. Em 2016, de fevereiro a abril, a cidade teve 86 mortes por atropelamento, número que atingiu 118 óbitos, aumento de 37%.

Apenas o mês de abril registrou aumento de 19% nas mortes por atropelamento, 38 mortes contra 32 em abril de 2016.

Os dados foram fornecidos pelo Infosiga, um banco de dados do Governo Estadual que integra o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito. O Movimento adotou como meta derrubar à metade o número de mortes no trânsito do Estado até 2020, conforme proposição da Década de Segurança do Trânsito da ONU.

Quando os dados abordam mortes no trânsito em geral, somando desde atropelamentos, até choques e colisões, houve pequena queda no número de mortes entre janeiro e abril (6,1%): 328 óbitos em 2016 contra 308 mortes este ano.

No Estado de São Paulo o número de mortes apontou redução de 15% em abril em relação ao mesmo mês de 2016: 451 pessoas perderam a vida no trânsito nos 645 municípios do Estado, contra 532 em 2016.

Como se pode ver. o pedestre continua sendo a maior vítima da violência do trânsito em São Paulo.

Motocicletas

Apesar dos acidentes com motocicletas estarem no centro das atenções das autoridades de trânsito da prefeitura, os dados do Infosiga revelam que o número de acidentes seguidos de morte com esses veículos caiu 11% na capital entre janeiro e abril: foram 101 mortes este ano, contra 113 no ano passado.

Mesmo assim, as oito mortes envolvendo motocicletas nas marginais levaram a CET a proibir a circulação desses veículos das 22h às 5h na pista central da marginal Tietê.

Alexandre Pelegi – jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: