Governo do Amazonas vai renunciar R$ 4 milhões por mês para deixar passagem de ônibus mais barata em Manaus

Governador em exercício afirmou que estado deixará de cobra ICMS do diesel

ADAMO BAZANI

O governador em exercício do Amazonas, Davi Almeida, disse nesta segunda-feira, 15 de maio de 2017, que vai abrir mão de uma arrecadação de R$ 4 milhões por mês referente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS incidente sobre o diesel utilizado pelas empresas do transporte coletivo de Manaus.

É uma forma de subsidiar a tarifa de ônibus e reduzir o valor das passagens na capital.

A renúncia fiscal foi suspensa pelo então governador, José Melo, que foi cassado.

Na ocasião, Melo afirmou que não poderia continuar isentando o diesel do ICMS dos coletivos e o IPVA porque as empresas de ônibus aumentaram o valor da tarifa de R$ 3 para R$ 3,30 em janeiro deste ano. Em seguida, em fevereiro, a tarifa teve outro aumento indo para R$ 3,80.

Não entendimento de Melo, que é rival político do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, não fazia mais sentido o subsídio porque o benefício foi concedido mediante as empresas não aumentarem a tarifa só que as viações reajustaram valor em parceria com a prefeitura.

“Eu queria dessa forma ajudar a população de Manaus diminuindo a passagem de ônibus. Foi essa minha iniciativa e iniciamos as conversas com o prefeito Arthur. Acredito que será possível diante desse acordo e do diálogo, nós conseguiremos a parceria para redução da passagem de ônibus”, disse o governador em exercício em coletiva à imprensa.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: