Prefeitura de SP aumenta tempo de travessia em avenida da Zona Leste

Avenida Mateo Bei foi a primeira via de São Paulo a ter tempo semafórico aumentado para o pedestre (foto: CET-SP)

ALEXANDRE PELEGI

Conforme anunciado no lançamento da campanha Maio Amarelo (https://diariodotransporte.com.br/2017/05/03/prefeitura-promete-aumentar-tempo-semaforico-para-travessia/), a prefeitura de SP passou a aumentar o tempo semafórico para travessia de pedestres em vias com maior número de atropelamentos. A primeira a ser beneficiada foi a Avenida Mateo Bei, uma das mais importantes da região de São Mateus, zona Leste de São Paulo.

A escolha da via se deu através de indicadores de acidentes, segundo levantamento do Infosiga, banco de dados com informações sobre acidentes de trânsito do Governo do Estado.

O aumento no tempo de travessia foi de 4 segundos, com o tempo de travessia passando de 16 para 20 segundos. As próximas vias da capital a passarem pela mudança serão a Avenida Rebouças e a Estrada do M’Boi Mirim, na Zona Sul.

O aumento do tempo para travessia, beneficiando o pedestre em detrimento do fluxo de veículos, objetiva a reduzir o número de mortes por atropelamento.

Segundo o Infosiga, de janeiro a março deste ano 104 pessoas morreram atropeladas na capital. No mesmo período, já aconteceram 221 mortes por acidentes de trânsito (o que inclui outras formas de locomoção).

População vulnerável

Análise do Observatório Paulista de Trânsito (OPT), do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), divulgada em outubro de 2016 com base nos dados do DataSUS (2014 para óbitos; 2015 para internações), apontava que os atropelamentos são metade das ocorrências dos óbitos de idosos no trânsito paulista (49,2%). Em seguida, aparecem os acidentes como ocupante de veículo (19,9%).

Conforme matéria publicada recentemente (https://diariodotransporte.com.br/2017/05/04/semaforos-de-sp-penalizam-populacao-idosa/), uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública da USP comprovou  o quão grave é o problema da travessia em São Paulo.

O estudo constatou que a velocidade média de pedestres paulistanos acima dos 60 anos, ao cruzar uma rua, é de 2,7 km /hora. Para se entender o que isso significa, os sinais de travessia da capital funcionam com base em 4,3 km/hora, ou estão sincronizados para que o pedestre percorra 1 metro de via a cada 12 segundos.

O pesquisador José Leopoldo Antunes, que atuou na pesquisa, aponta quetempos semafóricos curtos desestimulam a caminhada dos idosos. Muita gente de terceira idade prefere ficar presa em casa a ser atropelada por motoristas irresponsáveis nas ruas da capital. Menos caminhadas, mais problemas de saúde…

Além de idosos convém lembrar das crianças, mulheres grávidas e cadeirantes, que compõe parcela importante da população que mais sofre com o trânsito hostil das grandes cidades. Trânsito que privilegia tempos semafóricos curtos que só beneficiam veículos, em detrimento de pessoas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

3 comentários em Prefeitura de SP aumenta tempo de travessia em avenida da Zona Leste

  1. Essa foto não é no Brasil

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: