VLT de Salvador vai oferecer qualidade, mas a uma tarifa 700% mais cara

Modal deve melhorar muito a mobilidade no Subúrbio Ferroviário, beneficiando a população de 1,5 milhão de pessoas, mas tarifa atual de R$ 0,50 saltará para R$ 3,60

ALEXANDRE PELEGI

A população de Salvador aguarda ansiosa a obra do VLT do Subúrbio, prevista agora para ficar pronta em 2019. Esta é a boa notícia. Afinal, o VLT está atrasado em pelo menos dois anos. Só para recordar, o primeiro projeto foi enviado para o Ministério das Cidades em 2011, sendo que o edital de licitação foi até anunciado para a data de 14 de agosto de 2015. Não avançou: o certame foi adiado algumas vezes, seja por ajustes técnicos nos projetos solicitados pela Prefeitura, seja devido à mudança no regime de financiamento da obra.

Agora o aviso de licitação para implantação e concessão do VLT foi finalmente publicado no Diário Oficial da Bahia, nesta quarta-feira (3 de maio), conforme noticiamos.

Agora vem a notícia ruim: o preço da tarifa do futuro VLT. Segundo informação confirmada pelo Secretário Estadual da Casa Civil do governo da Bahia, Bruno Dauster, com a substituição dos trens do subúrbio pelo modal VLT, a tarifa deve aumentar em 700%. A tarifa paga atualmente pelo soteropolitano para andar no Subúrbio é de R$ 0,50, mas com o VLT passará a custar o mesmo preço do Metrô e dos ônibus urbanos, atualmente em R$ 3,60.

O que resta saber é se o preço compensará pela qualidade da mobilidade. As autoridades apostam que sim.

O VLT deve melhorar muito a mobilidade no Subúrbio Ferroviário, beneficiando a população de 1,5 milhão de pessoas que vive nesta área da cidade.  Serão 19 quilômetros de extensão e 21 paradas, ligando a região do Comércio a Paripe, contra o modal atual, que tem 13,6 km, 10 estações e liga os bairros de Paripe a Calçada.

O fator tempo é outro destaque para justificar o VLT. Quando estiver operando, o trajeto entre a primeira e última estação será feito em 40 minutos. Hoje, para ir do Comércio até Paripe de ônibus no horário de pico, o tempo de percurso é de aproximadamente de 1 hora e 45 minutos.

Outro fator alegado é a frequência. O tempo de espera para entrar num vagão vai diminuir, passando dos atuais 40 minutos para apenas 6 minutos.

Juntando-se ao tempo, frequência e regularidade, há ainda o fator integração. O VLT deverá ser integrado às linhas 1 e 2 do metrô, e também aos roteiros do BRT metropolitano por meio de um túnel, ligando a parada do Comércio até uma nova parada na Estação da Lapa. A ideia é que os três serviços de transporte coletivo de Salvador (ônibus, metrô e VLT) sejam integrados por meio de um bilhete único.

Trânsito

Dados do Relatório Tomtom Traffic Index 2017 apontam Salvador como a segunda cidade mais congestionada do Brasil, atrás somente do Rio de Janeiro. Se o parâmetro for a América do Sul, a capital baiana ocupa a 4ª posição. No mundo, é a 28ª colocada.

Para o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, o Estado tem realizado investimentos com a implantação do metrô e do VLT para melhorar a mobilidade da capital. Sobre o VLT ele explica: “Fez-se a opção de implantar esse sistema de transporte por trilho porque esse transporte de alta capacidade reduz o número de ônibus e carro circulando”.

Dauster cita ainda o alargamento da Paralela, a implantação viadutos de retorno, a construção dos viadutos do Imbuí-Narandiba, a Avenida 29 de Março, o metrô e essas obras de complementares Via Expressa, como outras intervenções que ajudaram a destravar a cidade.

Já para Fábio Motta, secretário de Mobilidade Urbana da prefeitura de Salvador, para resolver o problema de mobilidade de vez falta apenas a obra do Sistema BRT ficar pronta. Ela vai ligar o Iguatemi até a Lapa, com um braço entrando pelo Itaigara. Motta, que preside o Forum Nacional de Secretários de Transporte, da ANTP, afirma: “Nós teremos a melhor mobilidade do Brasil. Nós somos, em seguida do Rio de Janeiro, a cidade que mais investiu mobilidade urbana”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

4 comentários em VLT de Salvador vai oferecer qualidade, mas a uma tarifa 700% mais cara

  1. Bom o metrô da linha vermelha de SP, de Itaquera à Barra Funda, tem 23 km e faz o trajeto em 55 minutos, ou seja, velocidade média de 25 km/h. Como esse VLT fará 19 km e 40 minutos ?
    Nem na França eles conseguem velocidades acima de 20 km/h.

  2. Corrigindo a informação acima, vi num vídeo da viagem completa de Itaquera à Barra Funda no metrô e a viagem durou 35 minutos, ou seja, 37 km/h.

    • Daniel Duarte, bom dia.

      Seus calculos estao corretos.

      Mas aqui o Bradil o que define qualquer projeto e a velocidade media do faturamento que a obra vai gerar para “eles”, pouco importando a velocidade media de operacao.

      ” O PASSAGEIRO QUE SE EXPLODA”

      Igual ao Aerotrem inacabado e abandonafo de Sampa.

      Att,

      Paulo Gil

      • Optou-se pelo VLT aqui em Salvador pq quanto mais caro e complexo melhor…pra eles. É a megalomania do político que faz farra com o dinheiro público.

        Existem trens modernos e velozes e mais baratos que VLT, mas, não tem peso nas propagandas eleitorais.

        E o pior, o secretário da Casa Civil diz que a opção é pra tirar ônibus e carros das ruas. Só aqui na Bahia mesmo, que os gestores tirarm usuários de um modal coletivo pra colocar em outro.

        Ele deve acreditar em saci pererê pra achar que quem anda de carro vai andar de VLT.

        Meu Deus, onde nós vamos parar!?.

1 Trackback / Pingback

  1. Empresas pedem mais prazo para participar de licitação do VLT de Salvador – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: