Edital de licitação da EMTU agora fica para junho

Enquanto isso, passageiros da Grande São Paulo, principalmente do ABC, esperam por mudanças

ADAMO BAZANI

Os passageiros de ônibus intermunicipais gerenciados pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, em especial os que dependem dos serviços na área 5, correspondente ao ABC Paulista, vão ter de esperar até junho para começarem a imaginar um serviço melhor.

A gerenciadora informou uma nova previsão de prazo para lançar o edital de licitação das cinco áreas operacionais.

Em 2006, quatro áreas foram licitadas e os contratos venceram no ano passado.

Os serviços do ABC sequer passaram por licitação e operam em desacordo com a Constituição, por meio de permissões.

Os empresários esvaziaram o certame alegando altos custos.

No entanto, o custo maior é arcado pela população

As tarifas são altas, a idade média dos ônibus intermunicipais no ABC é a mais elevada de toda a Grande São Paulo, as linhas são desatualizadas e empresas como a EAOSA, com vários problemas jurídicos, operam com base em liminares.

No final do ano passado, a EMTU lançou uma minuta de edital, prevendo lançamento da licitação até fevereiro. A data mudou para março, depois abril e, agora, junho.

Nestes 11 anos desde a concorrência de 2006, a EMTU tentou por seis vezes fazer a licitação no ABC. Mas os empresários não deixaram, cinco vezes esvaziando o certame e uma vez, o dono da EAOSA, Baltazar José de Sousa, ganhou uma liminar.

Apesar de o instrumento jurídico atender pedido de Baltazar, o atraso na licitação foi de interesse de todos os donos de empresa de ônibus da região.

Os donos de viações alegam que o ABC Paulista tem custos maiores e projetos como o monotrilho, o que diferencia das outras áreas.

A EMTU diz que recebeu 600 contribuições para o edital é que analisa as sugestões

Ádamo Bazani, jornalista especializado em transportes