Fracassou promessa de Doria usar transporte individual para evitar greve geral na Prefeitura

 

Ontem Doria recebeu a má notícia: as empresas recuaram do pretendo acordo. Prefeito não confirmou a ameaça de cortar ponto de servidores que faltarem ao trabalho

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito João Dória passou a semana tentando garantir que a greve não atingisse os serviços da administração. O sindicato da categoria, que representa perto de 129 mil trabalhadores, havia declarado adesão à greve.

A ideia do prefeito foi apelar para os aplicativos de transporte individual, e já na quarta-feira (26) buscou um acordo com as empresas Uber e 99 para que transportassem os funcionários públicos. Junto com o anúncio do transporte individual grátis o prefeito adicionou a ameaça de que cortaria o ponto de quem não fosse trabalhar.

Ontem Doria recebeu a má notícia: as empresas recuaram do pretendo acordo. O plano original contava que o custo das viagens viria em forma de doação à prefeitura, cabendo às empresas reembolsar os motoristas que transportassem os servidores.

O plano fracassou. A assessoria de imprensa da Prefeitura disse aos jornalistas que “não foi possível obter a gratuidade”. Para amenizar o fracasso da ação a administração afirmou que foi em decorrência do pedido da Prefeitura que as empresas se dispuseram a oferecer desconto nas corridas para todos os usuários. Os aplicativos Uber e 99 já estavam anunciando descontos de R$ 20 nas corridas para todos os usuários da capital. O que a assessoria de imprensa da prefeitura não respondeu até ontem à noite foi se o prefeito manterá a promessa de cortar o ponto dos servidores faltantes.

E-mails

Na quarta à noite a prefeitura enviou um formulário online aos servidores municipais, onde solicitava informações pessoais – RG, endereço, órgão no qual trabalha e e-mail pessoal. A primeira reação partiu dos apoiadores da greve, que usaram o link para o formulário pedindo para que todos preenchessem os cadastros com dados falsos.

Ontem (27), novo e-mail da prefeitura, desta feita com sugestões como buscar colegas que moram próximos “para compartilhar caronas”, além de sugerir o uso compartilhado da frota de veículos das secretarias. Informava também que os aplicativos Uber e 99 ofereceriam descontos de R$ 20 nas corridas, mas para qualquer usuário.

“Infelizmente, para possibilitar que todos os paulistanos possam utilizar esse serviço, haverá um limite de R$20,00 por pessoa. Não será mais livre como inicialmente divulgado”, diz o e-mail enviado pela assessoria de comunicação da Secretaria de Gestão.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes