Supremo concede habeas corpus a empresário de ônibus preso na Operação Mar de Lama

De acordo com o Ricardo Levandovski, dono de Viação foi preso por conveniência da instrução criminal, cuja fase foi superada

ADAMO BAZANI

A 2ª turma do Supremo Tribunal Federal – STF concedeu habeas corpus ao dono da Viação Valadarense, Roberto José Carvalho.

O empresário foi preso preventivamente em maio do ano passado na quinta fase da Operação Mar de Lama, que investiga um suposto esquema de propinas envolvendo agentes públicos em Governador Valadares e empresários de diversos setores.

O dono de empresa de ônibus é acusado de pagar um “mensalinho” a vereadores de Governador Valadares para aprovar o que fosse de interesse para companhia de ônibus e também pagar propina ao Sinttro-GV, sindicato dos motoristas e cobradores, para fazer greves e assim pressionar aumento de tarifa.

O relator da ação, ministro Ricardo Lewandowski, diz que Roberto José Carvalho foi preso por conveniência da instrução criminal para investigar a participação nos crimes apurados e que esta fase da instrução já foi superada, sendo desnecessária a manutenção da prisão.

Levandovski diz ainda que empresário tem quase 70 anos de idade problemas de saúde, também sendo afastado da direção da empresa e já morando longe de Governador Valadares.

O Tribunal de Justiça havia substituído prisão preventiva por domiciliar. O STJ negou pedido de habeas corpus, mas a defesa recorreu ao STF.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes