Recifenses andam mais de ônibus, revela Pesquisa Origem-Destino 2016

Ônibus é o principal modo de transporte para quem estuda e trabalha; percentual dos que se deslocam a pé para ir à escola é maior do que os que vão ao trabalho

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura do Recife divulgou nesta quinta-feira, 23 de março, dados da Pesquisa Origem-Destino (OD) realizada entre novembro de 2015 e novembro de 2016. Sob coordenação do Instituto da Cidade Pelópidas Silveira – ICPS, órgão de estudos e planejamento estratégico ligado à Seplan, a pesquisa revelou ontem dados coletados sobre duas motivações de viagens: trabalho e estudo.

Num universo de mais de 58 mil respostas válidas, 57% dos que responderam à pesquisa informaram residir no Recife. Aqueles que não moram no Recife, mas se locomovem para a cidade para trabalhar ou estudar somam 41 %, com destaque para os municípios de Olinda e Jaboatão. Apenas 2% dos que responderam à pesquisa moram fora da Região Metropolitana. Para o presidente do ICPS esse dado comprova que o cidadão é metropolitano, e que “é impossível desconsiderar um plano de mobilidade que não contemple nossa Região Metropolitana. Planejar a mobilidade do Recife requer pensar nas outras cidades”, afirmou.

Antônio Alexandre, secretário de Planejamento Urbano do Recife, informou que dentre as prioridades para investimento na mobilidade estão itens como o transporte público, como agenda principal, seguido do investimento em calçadas e acessibilidade e no modo cicloviário.

Os dados anunciados ontem revelam algumas características importantes para a adoção de projetos e a formulação de políticas públicas:

– o ônibus é o principal modo de transporte para quem estuda e trabalha: 50,25% para o trabalho e 44,54% para educação.

– o percentual dos que se deslocam a pé pelo motivo educação (15%) é maior do que quando o motivo é trabalho (9%).

Outro ponto importante revelado na reunião de apresentação dos resultados é que o produto final da Pesquisa OD será integrado ao uso do solo urbano. Os dados obtidos auxiliarão o planejamento territorial, produzindo estudos que implicarão em tomadas de decisões importantes para a mobilidade na RMR. São decisões que poderão provocar mudanças significativas na forma como as pessoas se deslocam, podendo induzir à troca do carro pelo transporte público, grande desafio das regiões metropolitanas no país.

As informações da Pesquisa Origem-Destino do Recife 2016 ficarão disponíveis no site planodemobilidade.recife.pe.gov.br.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes