Temer garante apoio financeiro para retomar VLT de Cuiabá

Temer reunido com autoridades de Mato Grosso: R$ 600 milhões para conclusão - Foto: Gcom-MT/Mayke Toscano

O Governo de Mato Grosso anunciou nesta terça-feira (21) em seu site que as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá e Várzea Grande, paralisadas por decisão judicial, serão retomadas. A informação partiu do governador Pedro Taques e do secretário das Cidades, Wilson Santos, que estiveram reunidos com o presidente da República, Michel Temer. Segundo o site do governo estadual o governador Taques pediu o apoio de Temer para a articulação de uma nova linha de crédito junto à Caixa Econômica Federal. O valor: aproximadamente R$ 600 milhões, o que falta para concluir a obra.

A pedido do presidente Michel Temer o governador foi recebido pelo presidente da CEF, Gilberto Roque, e pelo vice-presidente, Roberto Dezirê Santana, e ouviu que “a ordem é atender Mato Grosso”.

O portal oficial destaca o entusiasmo do governador do Mato Grosso: “Estivemos na Caixa Econômica após várias reuniões de articulação em Brasília e, com o aval do presidente Michel Temer hoje, devemos retomar em breve a obra do VLT por meio de uma nova linha de crédito com a Caixa. Estamos nas tratativas finais de um acordo com o Consórcio responsável e temos uma equipe do Governo focada somente nisso. É uma obra muito importante para Mato Grosso e um compromisso nosso de que daremos continuidade”, disse Pedro Taques.

De acordo com o secretário das Cidades, Wilson Santos, a obra tem tudo para ser retomada já nos próximos meses.

A obra do VLT, com um total de 22 quilômetros entre Cuiabá e Várzea Grande, foi paralisada por determinação judicial. Desde então, o governador Pedro Taques e a Secretaria das Cidades mantiveram reuniões com o Consórcio VLT e várias outras em Brasília em busca de um acordo e de respaldo financeiro para a conclusão da obra.

“Vamos terminar o VLT, mas não vamos jogar o lixo para debaixo do tapete, como dissemos desde o primeiro dia de Governo. Contratamos, com respaldo judicial, a consultoria da KPMG para nos falar quanto foi gasto, em que foi gasto, quanto ainda precisa e qual o modelo de operação. Conseguimos diminuir o valor que ainda resta para pagamento e precisamos de dinheiro da União para concluir. Temos espaço orçamentário para adquirirmos essa operação e tudo nos leva a crer que em breve daremos início”, garantiu o governador.

Uma nova reunião deve ocorrer ainda esta semana na Caixa Econômica Federal, em que será feita a avaliação de risco de Mato Grosso para a aquisição de nova linha de crédito e, em breve, o contrato poderá ser assinado.