Ministério Público prende dono da Transtupi, de Araucária

Operação investiga esquema de corrupção

ADAMO BAZANI

O Ministério Público do Paraná, por meio do Gaeco – Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado informou que prendeu nesta terça-feira, 21 de março de 2017, o dono da Transtupi, empresa de ônibus Araucária, na região metropolitana de Curitiba.

O nome do empresário não foi revelado pelo órgão.

A prisão ocorreu durante a segunda fase da Operação Fim de Feira.

Durante os trabalhos, foram cumpridos no total cinco mandados de prisão preventiva, seis de busca e apreensão, além de três conduções coercitivas em Araucária.

O Ministério Público investiga indícios de que o empresário pagou propina para o ex-prefeito, Rui Alves de Souza, que foi preso em dezembro de 2016, na primeira fase da operação em troca de vantagens e fraudes do transporte coletivo municipal.

Em nota, o Gaeco explica os objetivos da primeira e da segunda fases:

A Operação Fim de Feira visa apurar, entre outras condutas delituosas, crimes cometidos por empresários do setor de transporte público e ex-funcionários da Companhia Municipal de Transporte Público de Araucária. Dentre os crimes investigados, foram identificados até o momento atos de corrupção ativa e passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Primeira fase – A primeira fase da Operação Fim de Feira foi deflagrada em dezembro do ano passado, ocasião em que o Tribunal de Justiça do Paraná determinou a prisão preventiva do então prefeito de Araucária, junto com seu afastamento do cargo. Na época, também foi preso temporariamente o ex-secretário de Fazenda do Município, além de outras pessoas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes