Obras de trecho BRT Alto Tietê devem ser iniciadas só em 2018

Todo sistema deveria ter sido concluído entre 2014 e 2015

ADAMO BAZANI

As obras do trecho entre Arujá e Itaquaquecetuba do Corredor Metropolitano Alto Tietê só devem ter início em 2018. A partir de maio serão realizadas as audiências públicas para o licenciamento do projeto, que deve custar R$ 650 milhões.

O novo cronograma foi informado pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, responsável pela obra, em reunião na última semana com o Condemat – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê e da Frente Parlamentar de Apoio aos Municípios do Alto Tietê.

Reportagem do Diário do Transporte da semana passada, com base em estimativas publicadas pelo próprio Governo do Estado de São Paulo no Diário Oficial e nas previsões que constam no portal da EMTU, mostram que todas as obras de corredores de ônibus para a região metropolitana de São Paulo e interior paulista estão atrasadas. O BRT Perimetral Alto Tietê, por exemplo, deveria ter sido entregue entre 2014 e 2015.

A EMTU responsabilizou a crise econômica pelos atrasos. A empresa do Estado conta com menos recursos neste ano para investimentos. Relembre a matéria com a relação de todos os corredores neste link

https://diariodotransporte.com.br/2017/03/08/%EF%BB%BFcom-menos-verbas-emtu-divulga-previsoes-para-entregas-de-corredores-de-onibus-intermunicipais/

O BRT Metropolitano Perimetral Alto Tietê (Arujá – Ferraz de Vasconcelos) também deve ficar mais caro. O valor inicial previsto era de R$ 400 milhões, segundo publicação do Diário Oficial de 8 de março. Mas na reunião de 9 de março, o projeto foi apresentado pela direção da EMTU por R$ 650 milhões.

O sistema terá 20,2 km de extensão ligando Arujá a Ferraz de Vasconcelos, passando por Itaquaquecetuba e Poá. Serão construídos os Terminais Metropolitanos Arujá e Ferraz de Vasconcelos, junto à estação da CPTM, além da reforma do Terminal Cidade Kemel, em Poá. Serão implantadas 25 estações de embarque e desembarque; as Estações de Transferência Estrada do Corredor e Monte Belo; um viaduto em Arujá e outro em Ferraz de Vasconcelos; mais a abertura de 0,8 Km de viário novo. Devem ser atendidos 80 mil passageiros por dia.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes