Dívidas de empresas de ônibus com Santo André sobem para R$ 30 milhões, diz prefeitura

Gestão passada havia anunciado débitos de R$ 12 milhões. Frota será renovada neste semestre, diz gestão

ADAMO BAZANI

As empresas de ônibus que integram o Consórcio União Santo André devem mais de R$ 30 milhões de impostos ao município.

A informação foi confirmada ao Diário do Transporte pela SATrans – Santo André Transportes, gerenciadora do sistema.

No período de transição de gestões, o então prefeito, Carlos Grana, que não se reelegeu, havia dito que as empresas de ônibus de Santo André deviam somente de ISS – Imposto sobre Serviços, R$ 12 milhões. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2016/12/20/empresarios-de-onibus-sao-os-maiores-sonegadores-dispara-prefeito-de-santo-andre-carlos-grana/

Em nota, a gestão do sucessor, Paulo Serra, diz que estas dívidas poderão ser cobradas na justiça, inclusive com protesto de títulos .

Sobre os apontamentos dos débitos, o Executivo esclarece que os R$ 12 milhões mencionados podem, numa análise preliminar, se referir a apenas uma parte dos débitos do seguimento do transporte coletivo municipal.

Constam nos registros atualizados no final de fevereiro de 2017, que o total dos débitos atingem o montante de pouco mais de R$ 30 milhões. Para cobrar os débitos, as ações da Prefeitura estão de acordo com as previsões legais que pressupõem, inclusive, protesto de títulos da dívida ativa e cobranças judiciais. No momento estamos tomando todas as medidas legais na cobrança de dívidas, diferentemente da gestão anterior.

A AESA – Associação das Empresas do Sistema de Transporte de Santo André, que representa as viações, disse que não tinha detalhes dos débitos.

Com dívidas, as empresas ficam impedidas de participar de licitações, como a que deve ocorrer com o sistema de Vila Luzita, o maior lote único da cidade em termos de demanda. Antes, porém, deve ser lançada outra contratação emergencial. O atual contrato com a Suzantur vence no dia 08 de abril. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/03/06/prefeitura-de-santo-andre-vai-fazer-nova-contratacao-emergencial-para-vila-luzita/

IDADE DA FROTA:

Também no ano passado, a prefeitura anunciou que as companhias do Consórcio União Santo André operam com veículos de idade acima do limite permitido por contrato com a prefeitura, que é de oito anos para ônibus convencionais, micro-ônibus e mídis (micrões) e 12 anos para veículos articulados.

Em setembro de 2016, foi atingida a idade média de cinco anos e, de acordo com a nova gestão, agora já passou de seis anos. A administração diz que a regularização ocorrerá ainda neste semestre:

A Prefeitura de Santo André, por meio da SATrans, esclarece que temos uma idade média da frota do Consórcio União Santo André (CUSA) de 6,1 anos e no caso da Suzantur, que opera em caráter emergencial, uma média de 3,25 anos.

Informamos ainda que, até o final do primeiro semestre, a frota referente a CUSA estará regularizada nos termos do Decreto 15.149/2004.

A AESA informou ao Diário do Transporte que a renovação foi iniciada e que será em breve atendida a regulamentação municipal.

O Consórcio União Santo André é formado pelas seguintes empresas:

Base Operacional 01 – Viação Guainazes / Viação Curuçá (proprietário Ronan Maria Pinto).

Base Operacional 02 – Viação Vaz (proprietário Ozias Vaz)

Base Operacional 03 – TCPN – Transportes Coletivos Parque das Nações (proprietário Carlos Sófio)

Base Operacional 04 – ETURSA – Empresa de Transporte Urbano Rodoviário de Santo André (proprietário Ronan Maria Pinto).

Base Operacional 05 – EUSA – Empresa Urbana de Santo André (proprietário Baltazar José de Sousa)

Linhas Troncais e Alimentadoras do Sistema de Vila Luzita:

Suzantur (proprietário Claudinei Brogliato) – operação emergencial até licitação.

Até 07 de outubro de 2016, era Expresso Guarará, da família Passarelli.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Simples, e so fazer a compensacao e a prefeitura descontar no credito que as empresas tem a xada dia.

    Vamo acordar Brasil.

    Att,

    Paulo Gil

  2. Como pode isso em santo André meu amigo só romper os contatos com as viação consórcio união santo andre e simples abril uma licitações urgente e condo ave ganhador tirar esse empresário do transporte coletivo de santo andre. Sr prefeito Paulinho serra ouvir povo que tem votos na sim não sr vai sair com sr prefeito Carlos grana

  3. Paulo Gil disse:

    Valdir, boa noite.

    Permita-me um compkemento.

    Licitacao urgente nao existe.

    Licitacao e um processo burtocratico e no caso dos buzoes, compkexo, cheio de mistetios e muiiiiiiiiiiiito demorado, principalmente se houver muitos recursos.

    Administrativamente o B3adil ta falido desde 1500.

    Salve a burroc3acia.

    Abs,

    9aulo Gil

Deixe uma resposta