Ônibus em São Paulo não são tão velhos desde 2006

ônibus Veículos mais antigos, alguns com mais de 10 anos, são mais comuns na frota paulistana de ônibus

Indefinições quanto à licitação do sistema fazem empresários postergar renovações

ADAMO BAZANI

Até é possível ver ônibus novos na capital paulista, mas numa quantidade proporcionalmente menor que em anos anteriores. O sistema de ônibus de São Paulo é o maior da América Latina, com 14.623 veículos que transportam mais de 6 milhões de pessoas por dia.

De acordo com indicadores divulgados pela SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora dos  serviços, a frota de ônibus municipais atingiu neste ano a idade mais elevada desde 2006 no caso do subsistema de concessão, envolvendo as empresas de ônibus e linhas maiores, e, desde 2003, envolvendo entre as empresas que surgiram das cooperativas, no subsistema de permissão.

A idade média dos ônibus da concessão está em 05 anos e 10 meses. Somente em duas vezes, desde 2003, quando foram assinados os contratos com as empresas, é que esta média foi maior: 5 anos e 11 meses em 2006 e 6 anos e 9 meses em 2003.

Já no caso do sistema de permissão, desde 2003, quando a prefeitura começou a divulgar a idade dos ônibus, nunca os veículos foram tão velhos. Em 2016 e nos dois primeiros meses de 2017, a idade média atingiu 5 anos.

idaded

O principal fator para o quadro, de acordo com empresários de ônibus ouvidos pelo Diário do Transporte, não é a crise econômica enfrentada pelo país, embora que a conjuntura atual dificulte as renovações. O principal problema está na indefinição quanto à licitação dos transportes na cidade.

“Sabemos que quem está aí, dos grandes [empresários], dificilmente vai sair da cidade. Não vai ter surpresas. Pode entrar um novo, sair outro, teve até grupo estrangeiro que quis saber [da licitação]. O que queremos saber é como vai ficar a situação das linhas, as divisões, quem opera onde. Agora, não vai ter muita mudança. São Paulo é complexo. Só opera aqui quem conhece” – disse um diretor de empresa de ônibus que pediu para não ter o nome citado na matéria.

A prefeitura estima lançar o edital de licitação em maio deste ano e ter um novo sistema em operação já no segundo semestre. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2017/02/21/prefeitura-de-sao-paulo-deve-lancar-edital-de-licitacao-dos-transportes-em-maio/

A gestão passada, de Fernando Haddad tentou realizar a licitação que deveria ter sido iniciada e concluída em 2013, mas não teve sucesso.

A última versão do edital previa contratos de R$ 166,1 bilhões por 20 anos, renováveis por mais 20 anos. Haveria retirada de linhas sobrepostas para diminuir os custos e os passageiros teriam de fazer mais baldeações. Com isso, prometia a prefeitura, haveria mais viagens com mais lugares disponíveis no sistema, mas a frota poderia ser menor. O sistema seria dividido em três: Subsistema Estrutural (linhas maiores, com ônibus grandes, que ligariam regiões diferentes pelo centro da cidade ou iriam até à região central); Subsistema Local de Distribuição (ônibus menores que iriam até terminais, corredores estações do Metrô e da CPTM) e Subsistema Local de Articulação (ônibus menores que fariam ligações maiores dentro de cada região ou entre regiões vizinhas, sem passar pelo centro).

BREVE CRONOLOGIA:

– 1º de fevereiro de 2013: O secretário municipal de transportes, Jilmar Tatto, apresenta em audiência pública modelo de licitação, que ainda previa cooperativas, mas já falava em redução de linhas. Previa também 430 quilômetros de corredores. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2013/02/01/audiencia-publica-sobre-licitacao-em-sao-paulo-preve-reducao-de-linhas-para-o-centro-da-cidade/

https://diariodotransporte.com.br/2013/02/01/licitacao-em-sao-paulo-menos-linhas-para-o-centro-e-novo-monitoramento/

https://diariodotransporte.com.br/2013/02/01/licitacao-dos-transportes-430-km-de-corredores-e-abertura-de-envelopes-em-marco/

– 09 de maio de 2013: Prefeitura publicou decreto definindo áreas operacionais de ônibus da cidade para a licitação e diz que satisfação do passageiro vai influenciar remuneração das empresas.  Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2013/05/09/prefeitura-de-sao-paulo-define-no-diario-oficial-areas-de-operacao-em-licitacao/

https://diariodotransporte.com.br/2013/05/10/satisfacao-do-passageiro-vai-determinar-remuneracao-das-empresas-de-sao-paulo/

– 15 de junho de 2013: Prefeitura publica minuta do edital de licitação e previa assinatura de contratos em julho. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2013/06/15/prefeitura-de-sao-paulo-publica-licitacao-no-diario-oficial-e-preve-assinaturas-em-julho/

– 26 de junho de 2013: Diante das manifestações contra os valores das tarifas de ônibus em todo o País e por mais qualidade nos transportes, o prefeito Fernando Haddad, pressionado politicamente, anuncia o cancelamento da licitação. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2013/06/26/haddad-cancela-licitacao-em-sao-pauloi/

– 13 de fevereiro de 2014: Após licitação, prefeitura contrata a empresa de auditoria Ernst & Young por R$ 4 milhões para fazer uma verificação independente das contas do sistema de transportes de São Paulo.  Os trabalhos deveriam ter sido concluídos em julho, mas só foram entregues em dezembro.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2014/02/13/ernest-young-vai-fazer-auditoria-no-sistema-e-licitacao-de-corredores-deve-ser-retomada-em-marco-diz-tatto/

 

– 11 de dezembro de 2014: Concluída auditoria (verificação independente) da Ernst & Young sobre as contas do sistema de transportes de São Paulo. Entre os apontamentos, estavam a possibilidade de redução de lucros das empresas e o fim das cooperativas, que posteriormente se tornaram empresas. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2014/12/11/auditoria-ernest-young-reducao-do-lucro-das-empresas-fim-do-modelo-de-cooperativas-e-viacoes-estrangeiras-em-sao-paulo/

– 09 de julho de 2015: Lançado o edital de licitação com as recomendações da auditoria:

https://diariodotransporte.com.br/2015/07/09/confira-o-edital-de-licitacao-dos-transportes-de-sao-paulo/

– 12 de novembro de 2015: Alegando ter encontrado 49 irregularidades nos editais, TCM – Tribunal de Contas do Município suspende licitação dos transportes em São Paulo. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2015/11/12/tcm-suspende-licitacao-dos-transportes-de-sao-paulo/

– 14 de julho de 2016: Depois de idas e vindas entre conselheiros e secretaria de transportes, TCM libera licitação dos serviços de ônibus em São Paulo, mas com 13 pontos ainda a serem revistos.  Pela proximidade com as eleições municipais, o prefeito Fernando Haddad achou melhor que o prosseguimento da licitação fosse dado pela próxima administração.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2016/07/14/confira-na-integra-todas-as-recomendacoes-do-tcm-para-a-licitacao-dos-transportes-em-sao-paulo/

– 21 de fevereiro de 2017: Gestão do prefeito João Doria promete lançar editais no mês de maio. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/02/21/prefeitura-de-sao-paulo-deve-lancar-edital-de-licitacao-dos-transportes-em-maio/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

6 comentários em Ônibus em São Paulo não são tão velhos desde 2006

  1. O que percebo que a maiorias dos onibus novos com ar condicionado que liga aos bairros mais ricos e em linhas pouco e muito curtas e com menos lotação de passageiros, já que muita gente rica pega mais outros meios de transportes proprio de seu carro, moto, taxi , uber.

    E os onibus velhos estão a maioria em bairros menos ricos e linhas de pouca e grande distancias , e com mais lotação de passageiros.

    Desonesto essa situação faz tempo e por parte das viações da falta de renova por completquas todas linhas com onibus novos .

    • William de Jesus Santos // 6 de março de 2017 às 12:53 // Responder

      Boa tarde, Cláudio!

      Injusto é! Mas não há como fugir dessa realidade. Assim como os bairros mais ricos tem melhor condições de trajeto, os mais pobres sofrem com ruas esburacadas, estreitas e mal conservadas. Até você, se tiver um carro novo, vai querer pensar duas vezes antes de trafegar por luares assim. “Ah, mas as empresas ganham milhões todos os meses” Pois é, mas esses mesmos milhões pagam os funcionários, agua, luz, combustivel, manutenção… Enfim, muita coisa.

      Já que o Dória adora conseguir acordos com empresas, ele deveria fazer algo com algumas para reasfaltar as ruas das regiões mais longe do centro, dessa forma incentiva que as empresas adquiram carros melhores. Cabrito com ar condicionado, wifi e tomadinha USB já dá um conforto e tanto..

  2. William de Jesus Santos // 6 de março de 2017 às 12:55 // Responder

    Boa tarde, amigos!

    Bom, isso já era de se esperar! Até eu se fosse empresário ficaria com uma pulga atrás da orelha. Como renovar minha frota se não sei que obrigações devo seguir? Mantenho um carro velho rodando e lucro mais com isso, dessa forma ganho tempo e me planejo na proxima renovação.

    Ao que tudo indica, o edital deverá sair do forno em maio, então até lá esqueçam carros novos! Um carro vencido há 1 ano, que mal tem rodar mais alguns meses?

  3. Amigos, boa noite.

    Isso sempre foi assim, buzao lindao nas vias “Top’s e buzao raladao no resto.

    E tem mais isso tem uma escala,mquanto mais raladao vai mais pro findao.

    Os scanias da 81 que rodavam na 8700 agora ja rodam na s vilas, ate onde nao cabe um 3 eixos.

    Quanto a b6raqueira das ruas de Sampa e a unica coisa no Brasil que e constitucional, pois em qualquer bairro de Sampa, rico ou pobre, todas as ruas estao horriveis.

    Cade a gestao ????

    A licitacao de Sampa e o mais simples de tudo.

    Trabalhar para depous lucrar, NINGUEM quer.

    “Quer me enganar,me da ouro”, ja diz o sabio do irmao de um amigo meu.

    Att,

    Paulo Gil

  4. Pelo menos aqui na ZL, a Vip só comprou carros novos com AC de 23 metros, praticamente só pra linha 4310, alguns rodam de vez em quando em outras linhas, de resto alguns articulados com AC, e alguns padron com AC, pra certas linhas, mas tem muitos Apaches velhos ainda, e alguns VW que sem comentários, rodando em linhas de fundão, esses precisam ser trocados urgente, pois tem muitas quebra,s sem contar os PBCs que estão chegando o tempo de baixar, então tem muito a se fazer, o problema e a bendita licitação.

  5. MARCOS NASCIMENTO // 11 de março de 2017 às 16:01 // Responder

    Essa situação descrita em São Paulo é a mesma verificada em dezenas de cidades e capitais brasileiras. VITÓRIA por exemplo, tem 3 empresas urbanas e não ocorre renovação da frota desde 2013 e até mesmo CURITIBA, a “cidade modelo” NÃO compra um grande frota de ônibus desde 2011, isso mesmo 2011 ! E olhem que são 10 empresas e a maioria delas é de um mesmo grupo (da família Gulin). Até uns 2 anos atrás existia a MARECHAL (mas como deu aquele “probleminha” eles resolveram extinguir a Marechal em Curitiba e incorporar toda a frota dela dentro da GLÓRIA – outra empresa do grupo Gulin. Então, todos os urbanos que circulavam com o prefixo inicial usando a letra A passaram a rodar usando a letra B que identifica os ônibus da Glória pois os prefixos AA, AB, AC etc… deixaram de existir.

1 Trackback / Pingback

  1. Número de panes nos ônibus em São Paulo cresce 37,3% em um ano – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: