Campinas vai receber R$ 111 milhões para conclusão de corredores de ônibus

Dinheiro foi liberado pela Caixa Econômica Federal. Obras, ao todo, custarão R$ 451 milhões.

ADAMO BAZANI

A Caixa Econômica Federal vai liberar nos próximos dias R$ 111 milhões para a Prefeitura de Campinas com o objetivo de completar os recursos que faltam para construção de corredores de ônibus. Serão beneficiados os corredores Campo Grande, Ouro Verde e Perimetral.

Com a garantia dos recursos, a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas  -Emdec assinou o contrato com as empresas vencedoras dos quatro lotes licitados.

Em 30 dias, as companhias terão ordem de serviço para iniciar a elaboração dos projetos executivos. Os corredores devem ficar prontos até março de 2020.

Os custos totais das obras serão de R$ 451,4 milhões. A prefeitura já tinha obtido R$ 340 milhões no Tesouro e por meio de financiamentos.

Os contratos serão analisados para pela Caixa Econômica e o Ministério das Cidades deve, com isso, emitir autorização para o início das obras. O procedimento é necessário para a prefeitura dar a ordem de serviço. As empresas que já assinaram os contratos terão 90 dias para concluir os projetos executivos.

CORREDORES DE ÔNIBUS DE CAMPINAS:

Chamado de “Rapidão Campinas” o sistema terá três corredores de ônibus:

Corredor Campo Grande: 17,8 quilômetros de extensão. Da região central, passará pelo leito desativado do antigo VLT, seguirá pela Avenida John Boyd Dunlop até o terminal Itajaí.

Corredor Ouro Verde: 14,5 quilômetros. Da região central, seguirá pelas avenidas João Jorge, Amoreiras, Ruy Rodriguez, Camucim até o Terminal Vida Nova.

Corredor Perimetral: 4 quilômetros entre a Vila Aurocan e o Jardim Campos Elísios

correedpres-campinas

correedpres-campinas-1

LOTES

As obras serão dividias em quatro lotes:

Lote 01: Engloba o trecho do Corredor Campo Grande entre o Centro e a Vila Aurocan, de 4,3 quilômetros, e um trecho de 4,1 quilômetros do Corredor Perimetral. Custo de R$ 88,9 milhões. Empresa: Consórcio BRT-Campinas.

Lote 02: Corredor Campo Grande entre a Vila Aurocan e Terminal Itajaí, com 13,6 quilômetros, dividido em três trechos: Vila Aurocan à ponte da Rodovia Bandeirantes (5 km), ponte da Rodovia dos Bandeirantes ao terminal Campo Grande (6,4), Terminal Campo Grande até o Terminal Itajaí (2,2 km) . Empresa Construcap – CCPS Engenharia e Comércio

Lote 03: Trecho de 4,8 quilômetros do Corredor Ouro Verde entre a região central e a Estação Campos Elíseos. Custo: R$ 66,5 milhões. Empresa: Compec Galasso Engenharia e Construção

Lote 04: Trecho de 9,8 quilômetros de extensão no Corredor Ouro Verde entre a Estação Campos Elíseos e o Terminal Vida Nova. Custo: R$ 104,8 milhões. Empresa: Consórcio BRT-Campinas/Construtora Artec S.A.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes